Categoria: Internet "Vizinhos reclamam e idosa perde 'guarda' de aves de estimação"


Uma mulher de 89 anos conseguiu evitar multas referentes a sua criação de aves, que vem gerando reclamações entre os vizinhos. Para isso, no entanto, a moradora de Taylor (Michigan, EUA) teve de se comprometer a desaparecer com grande parte dos animais. Segundo um acordo fechado na semana passada, Margaret Molnar terá 30 dias para reduzir sua criação a 16 aves -- atualmente, são cerca de 80 galinhas, galos, codornas e faisões. Muitos vizinhos e também representantes da cidade reclamaram, dizendo que esses animais atraem ratos. O acordo também estipula que controladores de pestes precisam visitar a propriedade mensalmente e que todos os animais serão retirados do local, no caso da morte de Margaret. A idosa tem uma licença para criar os bichos, mas não numa quantidade tão grande. Em 2000, ela enfrentou queixas parecidas e teve de reconstruir todas as gaiolas para evitar a ação de ratos, atraídos pelas aves.

Categoria: Video "Senhoras surfistas"

Dona Reiko e dona Fussae gostam de esportes radicais e mostram que limites não existem.

Categoria: Internet "Baixe aqui a cartilha de segurança bancária para idosos"


A Universidade Aberta da Terceira Idade, que é ligada à Uerj, lançou uma cartilha sobre segurança bancária especialmente voltada para idosos. São dicas de comportamento para quem faz transações no caixa eletrônico e na Internet.

Clique aqui para baixar (em pdf).

Categoria: Video "Turma de Papais Noéis comemora fim de curso"

Numa praça da Tijuca, 20 alunos de um curso de Papai Noel celebraram o término das aulas. Eles estão prontos para dar alegria às crianças e apresentam diferentes versões do bom velhinho para o Natal.

Categoria: Video "Na velhice, fala-se mais do que se faz sexo?"

Psicóloga explica que não há relação entre diminuição da libido e terceira idade

Categori: Internet "Envelhecimento da população abre novo mercado"


O envelhecimento da população brasileira já é visto como uma oportunidade de negócios. Segundo projeção Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), anunciada ontem, em 2050 o País terá 173 idosos para cada criança. No entanto, a administradora de empresas Cristiane D’Andrea já observava esse público em 2001, quando deixou o hospital em que trabalhava para se dedicar ao que considera uma demanda crescente e reprimida: serviços de atenção a idosos de qualidade.
Ela visitou países como França e Holanda para conhecer o que já existia. Depois, construiu o centro para idosos Hiléa, em funcionamento desde dezembro, na zona sul de São Paulo. Elvira Salles, de 66 anos, perguntou a um motorista de taxi o que era o prédio novo no bairro. “Respondeu que era um asilo”, conta Elvira. “Depois, vi que o Hiléa é algo muito diferente.”
“Como o conceito é novo, demora um pouco para as pessoas entenderem a proposta do Hiléa”, explica Cristiane. “Gosto dessa definição: um shopping center de serviços para idosos”. Além do serviço 5 estrelas de hotelaria, exercícios físicos monitorados, atividades artísticas e de entretenimento, os idosos contam com acompanhamento multidisciplinar constante para suas necessidades de saúde.Também é possível passar três dias por semana na instituição e aproveitar a infra-estrutura e serviços de reabilitação.
Para quem quer apenas participar das aulas, cursos e atividades oferecidos pelo centro, além de contar com descontos nas consultas médicas, é possível inscrever-se no Clube Hiléa. A mensalidade custa R$ 350. Os moradores do Hiléa pagam mensalidades a partir de R$ 7 mil. Já em 2010, ela pretende abrir uma nova unidade com 3 estrelas e mensalidade de R$ 4 mil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

LIMEIRA - VAMOS AJUDAR O PRÓXIMO - BLUMENAU SC

Manifesto de Solidariedade
Arrecadação de água, produtos de limpeza, higiene, roupas, calçados, cobertores e alimentos não-perecíveis, destinados às vítimas desabrigadas e desalojadas do Estado de Santa Catarina.
Teremos um caminhão da Transportadora RÁPIDO TRANSPAULO neste sábado em Limeira recolhendo doações.
Ponto de Arrecadação em Limeira:
Praça Toledo de Barros
Horário: 09:00 às 14:00

Pessoal,
As fortes e ininterruptas chuvas que assolaram a região do Vale do Itajaí deixaram perto de um milhão de vítimas entre desalojados e desabrigados.
Há muito o que fazer para ajudarmos e tentarmos minimizar o sofrimento das famílias atingidas.
Aos que quiserem e puderem ajudar, enviando ROUPAS ou leite em pó.
Aos que não puderem colaborar com uma peça de roupa ou lata de leite, pedimos que ajudem repassando esta informação não apenas para sua lista de contatos, mas para entidades que efetivamente possa ajudar.
Agradecemos de coração.
Atenciosamente,

Edson e Diana
7801-9125

Categoria Internet: "Mulher mais velha do mundo morre aos 115 anos"

A pessoa mais velha do mundo morreu nesta quarta-feira (26) no Estado norte-americano de Indiana aos 115 anos, disse um especialista em geriatria.
"A sra. Edna Parker de Indiana, a pessoa mais velha do mundo por alguns anos, faleceu aos 115 anos e 220 dias", disse Stephen Coles, geriatra da Universidade da Califórnia em Los Angeles ao website do Gerontology Research Group.
Parker, nascida em 20 de abril de 1893, morreu em uma enfermaria em Shelbyville, no estado de Indiana, segundo um jornal local. Uma foto de Parker, vestida de azul com um buquê de flores, estampou a primeira página do Shelbyville News.
Parker, que era professora, e seu marido, que morreu de ataque cardíaco quando ela tinha 48 anos, tiveram dois filhos.
Com isso, a pessoa mais velha do mundo passou a ser a portuguesa Maria de Jesus, nascida em 10 de setembro de 1893, de acordo com o Gerontology Research Group. O livro Guinness, porém, ainda não oficializou.

Categoria: Internet "População do Brasil vai parar de crescer em 30 anos, diz IBGE"

Queda acentuada da fecundidade reduz taxa de crescimento. Para 2050, instituto prevê que país terá 215,3 milhões de habitantes.

A população brasileira está envelhecendo mais e tendo cada vez menos filhos. Esse retrato do país fez com que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revisasse para baixo a projeção da população brasileira para 2050, quando, pelas contas do instituto, seremos 215,3 milhões em ação, número 44 milhões menor do que os 259,7 milhões projetados na última revisão periódica da população, realizada em 2004. A queda acentuada da fecundidade é a principal causa desse freio no crescimento, que levou os pesquisadores a estimarem que a população do Brasil vai parar de crescer em 30 anos.



O gráfico mostra a evolução da população e o ponto em que pararia de crescer (Foto: Reprodução/IBGE)
De acordo com a “Projeção da população do Brasil por sexo e idade para o período 1980 a 2050”, divulgada nesta quinta-feira (27) pelo IBGE, a queda significativa dos níveis de fecundidade ao longo dos anos fez com que a taxa de crescimento da população passasse de 3,1%, no período entre 1950 e1960, para 1,05% ao ano, em 2008. Em 2050, segundo o instituto, esse índice poderá ficar em -0,291%.

Com isso, os pesquisadores do IBGE estimam que a população do Brasil atinja o chamado “crescimento zero” por volta de 2039, apresentando, a partir daí, taxas de crescimento negativas, o que acarretaria em declínios absolutos do volume da população.
Se ritmo fosse mantido, seríamos 105 milhões a mais

Para se ter uma idéia, de acordo com o instituto, se o ritmo de crescimento populacional se mantivesse no mesmo nível da década de 1950, em 2008 teríamos aproximadamente 105 milhões de habitantes a mais – hoje esse número está em 189,6 milhões. Com as transformações ocorridas na sociedade e nas famílias brasileiras, enquanto o censo de 1970 registrava uma taxa de 5,76 filhos por mulher, esse número já se posicionava em 2,39 filhos por mulher em 2000. Na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2006, esse número caía para 1,99: as numerosas famílias começavam a perder espaço para uma geração de “filhos únicos”.

Para 2008, a taxa estimada de fecundidade é de 1,86 filho por mulher e a estimativa é que a fecundidade limite brasileira seria de 1,50 filho por mulher, valor alcançado entre 2027 e 2028.

Processo acelerado de envelhecimento

Enquanto cai o número de nascimentos, o brasileiro vive mais. Se em 1940 a vida média do brasileiro mal atingia os 50 anos de idade, segundo o IBGE, hoje esse indicador está em 72,78 anos. De acordo com a projeção, o Brasil continuará galgando anos na vida média de sua população, alcançando, em 2050, o patamar de 81,29 anos, mesmo nível atual da Islândia (81,80), Hong Kong, China (82,20) e Japão (82,60). O efeito combinado da redução dos níveis da fecundidade e da mortalidade no Brasil tem produzido ainda transformações no padrão etário da população do Brasil, de acordo com o instituto. “O formato tipicamente triangular da pirâmide populacional, com uma base alargada, está cedendo lugar a uma pirâmide populacional característica de uma sociedade em acelerado processo de envelhecimento”, diz o estudo.

Envelhecimento é irreversível

O coordenador do estudo, Juarez de Castro Oliveira, disse que o envelhecimento da população é um "processo irreversível". E por isso, é preciso que o governo reveja as políticas públicas para melhor atender os idosos. "Não somos mais um país jovem. Estamos envelhecendo. E isso implica em mudanças das políticas não só de previdência, mas também no que se refere à saúde, educação, transportes, enfim, em toda a infraestrutura", disse Juarez. Segundo Luiz Antônio Oliveira, coordenador de população e educadores sociais do IBGE, a diminuição do nível da taxa de fecundidade das brasileiras, assim como o aumento do tempo médio de vida e a violência, influenciaram decisivamente na projeção. E alerta: "Nenhum programa ou projeto futuro poderá ignorar essas projeções. E em todas as áreas: saúde, educação, transporte, segurança, previdência e assistência social".

Mudanças na Previdência

Em 2008, enquanto as crianças de 0 a 14 anos de idade correspondiam a 26,47% da população total, o contingente com 65 anos ou mais de idade representava 6,53%. Em 2050, o primeiro grupo representará 13,15%, ao passo que a população idosa ultrapassará os 22,71% da população total. Cenário que, de acordo com o IBGE, sugere reestruturações no mercado de trabalho e nos sistemas público e privado de saúde, assim como na Previdência Social, que passaria a ter menos pessoas contribuindo e mais idosos recebendo aposentadoria.

Taxa de mortalidade infantil cai

A projeção revela ainda que a taxa de mortalidade infantil vem declinando no Brasil. Ainda há, no entanto, uma longa estrada pela frente, segundo o IBGE: essa taxa está estimada 23,30 óbitos de menores de 1 ano para cada mil nascidos vivos, em 2008.

Ainda é considerada alta se comparada com os indicadores de países vizinhos para o período 2005-2010, como 13,40 por mil, na Argentina; 7,20 por mil, no Chile; e 13,10 por mil, no Uruguai. A previsão do IBGE é de que o país poderá reduzir sua mortalidade infantil para 18,2 por mil até 2015.

Mais mulheres do que homens
Já as mortes prematuras de jovens por violência, principalmente entre homens de 20 a 24 anos, estariam se elevando ao longo dos anos. Como conseqüência, segundo o IBGE, a tendência é que haja cada vez mais mulheres do que homens.
Segundo os dados do instituto, em 1980, para cada grupo de cem mulheres, havia 98,7 homens. Em 2000, já se observavam 97 homens para cada cem mulheres e, em 2050, estima-se que essa relação fique por volta de 94. Com isso, o excedente feminino na população total, que em 2000 era de 2,5 milhões de mulheres, pode atingir quase 7 milhões em 2050.

Categroria: Video "Choque de gerações, e de tecnologia"

Um choque de gerações. Quando se trata de informática, Gustavo Rodrigues, de 5 anos, parece um veterano perto da avó, a aposentada Maria Thereza Teixeira de Castro, de 69 anos. Neste caso, é “vovó Thereza” quem ainda engatinha. Desde os 3 anos de idade, Gustavo liga, brinca e faz até pesquisas no computador. Já Maria Thereza, diz que só se aproxima do equipamento quando o neto esta por perto. “Já me convidaram para fazer um curso, mas estou tentando aprender com o pessoal aqui em casa: com minha filha, até mesmo com meu neto, que me ensina a mexer no computador. E eu vou aprender, porque a gente precisa”, conta Maria Thereza. Gustavo bem que tenta ajudar a avó. “Ela não sabe quase nada”, diz ele, com absoluto domínio da nova tecnologia. Na casa da família Rodrigues, o interesse pelo mundo digital começa cada vez mais cedo. A constatação é da mãe de Gustavo. Ela conta que Guilherme, de um ano e meio, o filho caçula, já está fascinado por teclados, mouses e imagens. Na casa de dona Odelita Vasconcelos e Seu Arnaldo, o computador, agora, tem lugar de destaque. Casados há quase 60 anos, os dois têm uma nova meta: aprender a navegar na internet. Há dois meses, eles são alunos de um curso de informática. “É muito difícil mexer no computador, porque o idoso é mais lento para aprender, já que os neurônios estão adormecendo”, conclui, com muito bom humor, Dona Odelita.

Categoria: Video "Maiores abandonados"

Eles chegam com um problema de saúde e, no hospital, descobrem que têm vários. Começam aí uma rotina de cuidados médicos e a procura dos assistentes sociais por parentes ou um abrigo.Há aqueles pacientes que têm casa e família, mas nunca recebem visitas. Não são procurados nem quando recebem alta do hospital. Em muitos casos eles ficam meses, anos, até que o hospital consiga um lugar para onde possam voltar.Desde que o aposentado Antônio Mariano chegou ao Hospital de Taguatinga, há três meses, ele recebeu duas visitas de amigos. “A gente sente falta das pessoas que não são nada... Imagina dos filhos”, desabafa.A assistente social Célia Alves de Andrade conta que o caso de um idoso de Santo Antônio do Descoberto é ainda mais difícil. Ele sofria maus-tratos em casa. “Chegou com desnutrição, ferimentos na perna, largado. A negligência está aí, no estado em que ele chegou”.Para que os parentes aparecessem, o nome dele, Joelson, foi parar até na internet. Ele vai voltar para a casa de uma tia, mas vai precisar de hemodiálise. Não tinha um documento ao chegar. Agora, ganhou até carteira de trabalho. Bem diferente de quando chegou ao hospital, desnutrido e com edema pulmonar.Hoje ele faz planos: “quero arrumar um emprego. Um emprego mesmo, para trabalhar”, diz Joelson.No Gama há um paciente idoso que está internado por um ano. Ele já teve alta, mas não tem casa nem família. Além disso, precisa de balão de oxigênio. Segundo a gerente do Serviço Social da Secretaria de Saúde, não existem asilos no DF para este tipo de paciente. O destino dele é continuar no hospital.

Categoria: Video "A Festa é Sua"

Grupo de idosos do Centro Dia, portadores de algumas patologias (depressão, hipertensão)que frequentam diariamente o Centro Geriátrico das Obras Sociais Irmã Dulce, em Salvador cantando a musica tema de fim de ano da Rede Globo "A festa é sua"

Categoria: Video "Hospitais não cumprem lei do acompanhante para idosos com mais de 60 anos"



O direito está registrado no Estatuto do Idoso. A Câmara Legislativa aprovou um projeto que prevê a colocação de avisos em hospitais e unidades de saúde informando sobre o direito.

Categoria: Internet "CE propõe acelerar criação de empregos para maiores de 65 anos"

Bruxelas, 24 nov (EFE).- O comissário europeu de Emprego e Políticas Sociais, Vladimir Spilda, propôs hoje "acelerar" a criação de fórmulas de trabalho "adaptadas aos maiores de 65 anos", visando a prolongar a idade ativa diante das atuais perspectivas demográficas.

"O envelhecimento da população já não é uma hipótese distante, mas uma realidade", afirmou o comissário, que apontou que a população européia maior de 65 anos crescerá anualmente em 2 milhões de pessoas durante os próximos 25 anos, segundo dados do Eurostat, escritório estatístico comunitário.

Esta tendência demográfica, unida à crise econômica, "exige acelerar a preparação de todos os Estados-membros para apresentar soluções concretas", advertiu Spidla na inauguração de um fórum sobre demografia realizado hoje e amanhã em Bruxelas.

Em particular, o comissário europeu sugeriu o desenvolvimento de "postos de trabalho adaptados" para as pessoas desta faixa de idade, "que consumam menos energia e requeiram maior experiência e qualificação".

Atualmente, a taxa de emprego dos cidadãos comunitários de entre 55 e 64 anos está abaixo do alvo de 50% fixado pela UE para 2010.

Spidla também propôs a adaptação da formação para os trabalhadores maiores, a extensão "progressiva" das jornadas a tempo parcial, e o fomento das tarefas voluntárias no contexto familiar -como o cuidado de crianças- e no social, como as atividades religiosas, sindicais ou de caridade.

Segundo uma pesquisa apresentada no fórum, três de cada quatro europeus estão dispostos a trabalhar como voluntários após sua aposentadoria, o que representa "um potencial enorme ainda não desenvolvido", afirmou Spidla.

Para enfrentar a estes "desafios demográficos", os Estados deverão aumentar as prestações sociais a 4,5% de seu PIB de agora a 2050. EFE

ahg/jp

|K:SOC:SOCIEDADE-SAUDE ECO:ECONOMIA,TRABALHO,EMPREGO ECO:ECONOMIA,MACROECONOMIA,INTEGRACAO| |Q:SOC:pt-BR:14024005:Temas sociais:Pessoas:Terceira idade ECO:pt-BR:09003000:Trabalho:Emprego ECO:pt-BR:09006000:Trabalho:Aposentadoria ECO:pt-BR:04008010:Economia, negócios e finanças:Macroeconomia:Instituições econômicas internacionais|

|N:C|

11/24/14-49/08

Categoria: Video "Regras para meia-entrada devem mudar"



A meia-entrada para estudantes vai mudar. O Congresso está discutindo a criação de uma cota: 40% dos ingressos seriam reservados para estudantes e idosos, com mais de 60 anos.

O limite agrada produtores culturais que reclamam do alto número de ingressos de meia-entrada, prejuízo que eles compensam com o aumento do preço dos ingressos.

Cineminha a dois, no fim de semana é uma boa pedida, mas o preço... “Não se gasta menos do que R$ 50 em um sábado à noite para ir ao cinema, entre a pipoca, os ingressos e o refrigerante”, calcula o profissional liberal Valteci Oliveira.

Atrás de ingressos mais baratos, mesmo quem não teria direito a carteira de estudante, consegue. “Não é difícil fazer carteirinha clandestina. Geralmente liberam carteirinha para pessoas que têm escola de informática e esses esquemas. Não existe uma fiscalização mais acirrada para verificar esse tipo de coisa”, comenta a universitária Vanderleia Medeiros.

Foi o número excessivo de pessoas pagando meia-entrada que provocou aumento nos preços. É o que dizem produtores culturais e artistas.

“Você estava obrigando os produtores culturais a aumentar o preço de uma forma irreal, penalizando as pessoas que pagavam a inteira e os próprios estudantes que tinham que pagar mais para assistir a um espetáculo”, explica o ator Wagner Moura.

Um projeto aprovado na comissão de educação do Senado propõe um limite de 40% para a venda de ingressos com meia-entrada nos shows, cinemas e teatros. O que se espera é que assim os produtores possam prever exatamente quanto vão faturar e deixem de cobrar mais caro para evitar perdas.

“Nós podemos ter, agora, um controle de quantos ingressos de meia e quantos ingressos inteiros terão nos nossos shows. Da forma que está desorganizada com a emissão dessas carteiras, nós não temos um controle efetivo de quantos são estudantes e quantos realmente vão pagar pelo ingresso inteiro”, afirma o produtor de shows Rodrigo Amaral.

Falta definir ainda como será a fiscalização de cinemas, teatros e casas de show para saber se eles de fato vão colocar à venda 40% de todos os ingressos pela metade do preço.

Para a União Nacional dos Estudantes (UNE), a mudança não resolve. “É um projeto que não ataca o problema que nós temos que enfrentar hoje que é um grande numero de carteiras falsificadas no mercado cultural”, aponta a presidente da UNE, Lúcia Stumpf.

O projeto precisa ser votado de novo pela comissão de educação do Senado.

Categoria: Video "Aumentam os casos de Aids entre idosos"



Dados do Ministério da Saúde mostram que a taxa de incidência da doença dobrou entre pessoas com mais de 50 anos na última década. Porém, a sobrevida dos pacientes aumentou para 108 meses.

Categoria: Video "Avôs e avós fazem bem à saúde"



Em tempos corridos, de famílias menores, avô e avó já não são como antes. Trabalham, namoram, sustentam a casa. Em algumas culturas, ainda são símbolo de sabedoria. Em outras, são só a herança do que passou. Sorte de quem tem e valoriza os avós por perto.

Avô e avó têm gosto de quê?

“Lembra carinho”, diz um carioca.

“Comida gostosa”, afirma uma menina.

Olhar confidente, mão firme que é para não escorregar. Autoridade mansa.

“Meu avô nunca falou alto com ninguém. É um cara com uma educação que não existe mais”, comenta um jovem.

Eles também mudaram. Quem se lembra dos avós de antigamente?

“Eram jovens que pareciam velhos. Quando minha avó morreu, aos 72 anos, pensei que ela tivesse 100”, lembra um senhor.

Segundo o IBGE, a estimativa é que 20% dos idosos aposentados no Brasil ainda trabalham.

“Eu não me enquadro nesse estilo de avó, na cadeira de balanço, fazendo crochê, dando chá. Eu levo à praia, pego onda”, garante a professora Sônia dos Santos Gaspar.

Eles estão mais jovens, com mais planos.

“Mas o afeto continua ali. A sociedade muda, a informação muda, mas os valores, aquilo que une avós, netos e filhos continuam os mesmos”, afirma a psicóloga Glória Belém.

Até o que a nossa trisavô já sabia ganhou status de verdade cientifica: avôs e avós fazem bem à saúde. Pesquisadores da universidade de Oxford, na Inglaterra, acompanharam mais de 1,5 mil adolescentes e crianças. Sabe o que descobriram? Crianças crescem mais felizes quando avôs e avós assumem parte da educação.

“Nossa classe média tem uma vida muito isolada: vive em apartamentos, mal conhece os vizinhos. Uma criança que tem avô e avó que possa estar junto, presente, cuidar dela, tem um privilégio enorme”, aponta o pediatra Daniel Becker.

Segundo a pesquisa, avós por perto ajudam as crianças a superar dificuldades como divórcio dos pais, implicância de colegas na escola e até a planejar o futuro e escolher uma carreira.

“Pai e mãe têm uma preocupação muito focada na educação. Avô e avó trazem uma dimensão na educação que é da fantasia, da história, da arte, do passeio, do mundo, da cultura”, compara o pediatra Daniel Becker.

Atenção vôs e vós ocupadíssimos: só a proximidade não basta. Tem que participar. E participar significa substituir os pais em algumas tarefas diárias. Aí começam as dúvidas: até que ponto interferir?

Vera ou vovó-delírio sempre quis ser atuante. Ela dá banho, comida, leva a neta para a escola e ainda ajuda no dever. Reconhece: às vezes passa dos limites e entra no papel da mãe. “Como se eu fosse fazer melhor. Paro para pensar e vejo que não é não por aí. Não é minha filha, é minha neta”, diz.

Os especialistas vão logo avisando quem manda na casa. “Quem realmente representa o papel principal são os pais”, afirma a psicóloga.

Haja sensibilidade para participar na dose certa, sem estragar tudo.

“Avó não estraga. Avó educa. Só estraga quando já estragada”, brinca uma senhora.

“Avó é mais severa, manda limpar a boa, reclama de roupa. Avô está pouco ligando. Deixa a boca ficar suja, tomar sorvete. É por isso que eles adoram a gente. É sempre assim. Alguém educa e alguém deseduca”, informa um avô.

Calma. Os psicólogos também garantem: o chocolatinho fora de hora não deseduca. “Claro que não. O chocolate fora de hora pode ser algo que o neto mais para frente, nos seus 25 anos, vai lembrar com muito carinho”, afirma a psicóloga Glória Belém.

“Passem mais tempo com seus netos. Dêem mais carinho e amor”, aconselha um jovem.

A recompensa que vale “é o beijinho que ganha quando chega” , comenta uma avó.

Categoria: Video "Vovó se diverte em salto de pára-quedas"



Quando completou 70 anos de idade, dona Maria José ganhou um presente incomum de seu neto: um salto de pára-quedas. A aposentada não pensou duas vezes e se emocinou com a aventura.

Categoria: Video "Campanha Dia Mundial de Luta Contra a Aids - 2008"

Homens acima dos 50 anos são tema da campanha do Ministério da Saúde para o Dia Mundial de Luta contra a Aids deste ano, a ser lançada nesta terça-feira (25/11), em Brasília, pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão. Com o slogan Sexo não tem idade. Proteção também não, serão abordados assuntos ligados à sexualidade, como o uso do preservativo e dicas para melhorar a relação sexual depois dos 50.O filme com 30 segundos de duração se passa no Clube dos Enta, formado apenas por homens acima dos 50 anos que têm orgulho da idade e experiência. Os sócios rimam palavras terminadas com enta, relacionadas ao cotidiano da faixa etária. E dizem que, para o sexo, nunca se aposentam.

Categoria: Internet Em Limeira "Idosos cuidam da saúde praticando esporte"

Idosos cuidam da saúde praticando esporteÉrica Samara da Silva Com desfile de delegações, tocha olímpica, juramento e coreografias, 300 atletas participaram ontem dos Jogos da Melhor Idade do Ceprosom (Jomic). Os representantes da nova geração de idosos garantem que as maiores conquistas não são as medalhas, mas os ganhos para a saúde do corpo e da mente. A 9ª edição da competição foi realizada no Nosso Clube. O local foi palco da união dos 21 grupos da Melhor Idade que ontem participaram de atividades como bocha, vôlei adaptado, dama, dominó, truco, buraco e coreografias.Jogador de truco, o aposentado Paulo Bueno de Camargo, de 71 anos, garante que a integração e a possibilidade de criar novos laços através do evento são os principais benefícios. Atleta do vôlei adaptado, Maria Silva Moraes, de 61 anos, não se importou se teria que defender ou atacar durante as partidas. O seu objetivo é muito além da vitória. “Tenho válvula no coração. Eu dependo do esporte para garantir minha saúde”, contou antes de se concentrar para o jogo.Aparecida Matuoca, de 78 anos, não joga, mas participa de outras atividades da Melhor Idade, como os passeios, por exemplo. Distante do antigo perfil de idosos que cuidam apenas dos netos ou fazem tricô, ela garante que envelhecer é bom. “Hoje tenho tempo para fazer o que antes não podia. Meus filhos estão criados, muitos sonhos já foram realizados. Posso fazer o que tenho vontade”, afirmou.A contribuição para melhoria da qualidade de vida foi o principal resultado do evento apontado pelo presidente do Ceprosom Dionísio Gava Júnior. Além da competição, ele mencinou a importância dos trabalhos desenvolvidos no Centro do Idoso onde, embora não tenha ocorrido inauguração oficial, as atividades estão sendo realizadas há quatro meses.DEMANDAApesar dos benefícios, Cleusa Aparecida Marrafon da Silva, presidente do Conselho Municipal do Idoso, citou que nem 10% da população idosa freqüenta os grupos da Melhor Idade. “Nossa meta não é apenas incentivar a adesão, mas é também pedir cada vez mais suporte ao Poder Público para que esse número amplie”, afirmou ao destacar que competições como o JOMIC preenchem lacunas, indiretamente, nos atendimentos de saúde. “As atividades trabalham com a mente e o corpo. São formas de evitar doenças”, declarou.Segundo a superintendente técnica do Ceprosom, Vanderléia Aparecida Serrano Diogo, há quatro anos Limeira tinha 13 grupos de Melhor Idade. “Hoje temos 21, número que mostra os resultados e o envolvimento dos idosos com os projetos”, completou.

Categoria: Internet Em Limeira "Conselho convoca familiares dos idosos em asilos para evitar mais casos no MP"


ABANDONO
Conselho convoca familiares dos idosos em asilos para evitar mais casos no MPÉrica Samara da SilvaDepois de apresentar seis casos de abandono em casa ao Ministério Público (MP), o Conselho Municipal do Idoso está convocando familiares para evitar que o problema se repita nos asilos. A situação dos abrigos, que atendem 143 pessoas, foi discutida durante palestra promovida pela Vigilância Sanitária. O encontro teve polêmica e cobranças à Prefeitura.Cleusa Aparecida Marrafon da Silva, presidente do Conselho Municipal do Idoso, informou ontem que os boletins de ocorrência (BOs) sobre idosos esquecidos em casa já foram apresentados ao MP e que, para evitar que o problema seja ainda maior, os familiares dos idosos que estão na mesma situação nos asilos também serão convocados para receber orientação. “Nosso foco não será a punição inicialmente. Iremos fornecer todas as informações, como necessidade de visitas e freqüência”, explicou à Gazeta durante evento esportivo da Melhor Idade.Enquanto cerca de 300 idosos estavam em clima de festa durante os jogos (veja matéria), um encontro realizado na Câmara Municipal discutia a situação dos asilos. Segundo Thiago Henrique Pilon, autoridade sanitária da Vigilância de Limeira, o objetivo foi orientar os representantes das entidades sobre as exigências legais em relação à estrutura física e os serviços de nutrição e saúde. “Uma das principais carências que percebemos nos abrigos é falta de melhor estrutura física”, afirmou.No entanto, enquanto recebiam orientações, os representantes dos abrigos citaram a necessidade de mais apoio da Prefeitura. “Não existe política pública definida para o idoso. A atual administração deveria fazer o que nunca foi feito no passado”, afirmou Vanderlei Ghisi, administrador do Recanto dos Idosos Nossa Senhora do Rosário.Além das filas de espera, o problema envolve os idosos que já são abrigados, inclusive encaminhados pela Prefeitura. No local onde administra, é necessário oferecer nove vagas para idosos levados pelo Ceprosom, mas a verba pública é de R$ 2,2 mil. “Um idoso com condições mínimas de qualidade de vida custa R$ 750”, afirmou.A autoridade sanitária rebateu e acrescentou que os asilos recebem 70% das aposentadorias, o que gerou mais polêmica. “Como manter um idoso com 70% da aposentadoria de R$ 415?”, questionou Ghisi. Segundo ele, muitos idosos não têm aposentadoria e nem mesmo vínculos familiares, ao ser questionado pela autoridade sanitária sobre a responsabilidade da família.Após a discussão o foco do encontro foi retomado, quando os representantes voltaram a receber orientações sobre as normas para atendimento ao público idoso.PROJEÇÃOSegundo as estatísicas da Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados), Limeira terá em dois anos 21.450 pessoas a partir de 65 anos, contra as 20.067 de 2008, aumento verificado de 6,89%. Em relação à população com 60 anos ou mais, o total deve subir dos atuais 29.673 - 13.362 homens e 16.311 mulheres para 32.165 em 2010 - 14.504 do sexo masculino e 17.661 do sexo feminino.

Categoria: Video "Conheça a Vovó Catcha"


Anne Lise Gonaçalves de Santa Catarina manda vídeo hilário de vovó

Categoria: Video "Dani visita uma banda que ensaia na garagem da vovó!"



A vovó dá apoio e ainda se arrisca na batera!

Categoria: Video "Uma lan house comandada por uma vovó"



A vó Isa mandou um vídeo feito com fotos da galera que freqüenta sua lan house em Pelotas, RS. Uma lan house onde a rede de internet é discada.

Categoria: Internet "Vovós se transformam em 'garotas do calendário' no litoral de SP"


As 12 modelos ganharam concurso entre 54 candidatas em São Vicente.

Na eleição pela internet, idosas receberam mais de 18 mil votos.

Mulheres com mais de 60 anos deixaram, temporariamente, o posto de vovós para se tornarem modelos. Elas vão ilustrar em 2009 um calendário de fotos produzido pela prefeitura de São Vicente, no litoral paulista.

Mas nada de nu, nem mesmo artístico. Neste ano, as modelos posaram com roupas esportivas.

O concurso 'Garotas do Calendário' faz parte de um programa da Secretaria de Cidadania e Ação Social da cidade para divulgar a prática e necessidade da atividade física para idosos. Todas as candidatas já participam de ações esportivas e culturais dedicados ao público idoso.

As 12 modelos escolhidas foram eleitas pela internet entre 54 candidatas. O concurso 'Garotas do Calendário 2009' contou com os votos de 18.789 internautas. No próximo dia 10 de dezembro, uma festa vai comemorar o lançamento de 4 mil exemplares do calendário, que serão distribuídos gratuitamente.

Nanci Pinto Intrieri, de 80 anos, obteve a preferência de 8 mil internautas, se tornou a mais votada e campeã do concurso. "É a primeira vez que ganho um concurso. Nunca pensei que colheria tantos votos assim. Eles acharam ótimo. Nunca imaginei me ver em calendário antes, nem em sonho", disse ela, que tem três filhos, três netos e quatro bisnetos.

Praticante de Tai Chi Chuan há três anos, dona Nanci defende a prática da atividade. "Faz muito bem para o organismo. Quando não vou, sinto falta. A pessoa não pode ficar parada."

Neide Felisberto, de 68 anos, conta que posou com roupa de vôlei, esporte que pratica desde 2000. "Foi ótimo. Nem pensei que fosse ganhar." De acordo com ela, a família reagiu bem. "Meus filhos gostaram. Acharam que para mim foi muito bom."

Segundo a secretária-adjunta de Cidadania e Ação Social , Débora Vassão, a experiência foi marcante também quem se deixou clicar. "Algumas delas ficaram surpresas porque nunca participaram antes de uma sessão de maquiagem. Outras, que tinham tatuagem, fizeram questão de mostrar", contou ela.

"Uma delas fez foto de surfe em homenagem ao afilhado. Outra vestiu a roupa do filho para fotografar", disse Débora. De acordo com ela, alguns filhos foram escondidos às sessões de foto para ver as mães.

Categoria: Internet "Idoso inglês contrata 'amigo de copo' por R$ 24 a hora"


Anúncio foi feito pelo filho do viúvo em um jornal da Inglaterra. Além de ganhar, acompanhante ainda pode beber com o idoso.
"Procura-se: pessoa para acompanhar um senhor idoso ao bar", diz o anúncio publicado em um jornal local da Inglaterra. Aquele que for escolhido para a função ganha 7 libras (cerca de R$ 24) por hora. O responsável pelo texto, Mike Hammond, quer encontrar uma companhia de bar para seu pai, Jack, um viúvo de 88 anos. E o texto ainda promete que, além de ser pago, o escolhido poderá beber cerveja junto com Jack. Segundo Hammond, a idéia é fazer com que seu pai tenha alguém para conversar em suas duas visitas semanais a um bar. "É o melhor trabalho do mundo", disse o filho do viúvo, enquanto analisava uma lista de candidatos. Hammond não tem interesse em contratar mulheres, adolescentes ou alguém que beba demais. Segundo ele, seu pai não bebe muito.

Categoria: Internet "Idosa faz festa de arromba na Índia para garantir lugar no céu"


Viúva gastou US$ 37,5 mil em evento para milhares de convidados. Ela não tem herdeiros e afirmou que agora sua alma pode descansar em paz.

Uma rica viúva indiana de 80 anos gastou cerca de US$ 37,5 mil em uma festa para milhares de convidados, na esperança de que essa ação possa lhe garantir um lugar no céu, conforme relatou a mídia local. Para encher sua festa de pessoas, Phuljharia Kunwar convidou os moradores de vilas e cidades perto de sua casa. Autoridades locais disseram que a viúva, que vive em Bihar, não tem parentes próximos e gastou todo esse dinheiro porque não tem para quem deixar suas posses. “Ela nos disse que agora poderia começar sua jornada final e que sua alma poderia descansar em paz no céu”, afirmou Ajay Kumar Bulganin, que participou da festa realizada na quarta e quinta-feira desta semana.

Categoria: Internet "Idosa comemora aniversário na data errada há mais de um século"

Recentemente, filha da mulher com 106 anos descobriu a confusão. Família continua celebrando o nascimento da idosa no dia errado.

A bisavó britânica Lena Thouless, de 106 anos, sempre comemorou seu aniversário no dia 23 de novembro. Recentemente, no entanto, sua filha descobriu que a idosa deveria cortar o bolo antes, no dia 22 de novembro.

Segundo o jornal "Telegraph", que publicou a notícia, a única filha da idosa se chama Lena Brooks e tem 55 anos. Ela percebeu a diferença de datas ao ver a certidão de nascimento da mãe.

“Ficamos surpresos com a descoberta. Perguntei, mas ninguém na família soube explicar o motivo. Continuamos celebrando o aniversário dela no dia 23, porque essa é a data que ela identifica como seu aniversário”, afirmou. De acordo com o "Telegraph", ambas vivem em Bowthorpe, Norwich. A bisavó nascida em Brough serviu nas forças armadas e se casou com o soldado James Thouless, que era do exército. Com James ela teve sua única filha, Lena, que contou ao jornal os hobbies da mãe há algumas décadas: tricô, dardos e bingo. Questionada sobre o segredo da vida longa de sua mãe, a filha respondeu: “ela sempre disse que é o trabalho duro”. Atualmente, a mulher vive em um asilo onde sua bisneta Riesha Dayns, de 17 anos, trabalha.

Categoria: Internet "OLD NET"

MISSÃO DA ONG OLD NET:

Caros educadores, líderes comunitários e empreendedores sociais que buscam, continuamente, novas práticas capazes de promover a melhoria social em seu bairro, em sua cidade e em seu país.


É possível promover em uma única iniciativa social a inclusão digital de idosos, a formação de jovens voluntários e um encontro enriquecedor entre estas duas gerações aparentemente tão distantes? A ONG Associação Cidade Escola Aprendiz descobriu que sim.Criado e desenvolvido nos últimos sete anos nos laboratórios de educação comunitária do Aprendiz em São Paulo, o Programa Oldnet propõe a convivência entre jovens e idosos, mediados pela tecnologia em oficinas nas quais os jovens compartilham seus conhecimentos em informática com pessoas de idade, ensinando-as a utilizar o computador e a navegar na internet.


O Programa Oldnet foi escolhido pela AMD como iniciativa modelo de inclusão digital de idosos no mundo. Com o aumento considerável da expectativa de vida da população mundial, torna-se fundamental criar e difundir programas que estimulem a inserção de pessoas de idade na sociedade da informação.


A proposta humanista do programa contextualiza a tecnologia dentro de uma nova perspectiva, pondo-a a serviço das pessoas e dos seus relacionamentos. Promover a inclusão digital do idoso é também promover sua integração social. Com o domínio do universo tecnológico, as distâncias são encurtadas através do correio eletrônico, viagens virtuais são feitas, e ainda é possível ler jornais do mundo inteiro, o que significa aumentar a rede de contatos e atualizar-se. Por outro lado, fazer com que o jovem atue voluntariamente como professor ajuda em seu processo de amadurecimento, desenvolvendo um senso de responsabilidade, flexibilidade e maior capacidade de participação social.


A metodologia do Programa Oldnet aqui apresentada é o resultado de uma construção coletiva integrando pontos de vistas e saberes de idealizadores, coordenadores, educadores, jovens, idosos e parceiros da iniciativa. Este grupo desenvolveu e produziu reflexões importantes, práticas e registros preciosos que foram reunidos e estruturados para atender a escolas, lares de idosos, empresas, universidades e tantos outros atores sociais dispostos a mobilizar esforços para criar novos espaços de ensino e aprendizagem em suas comunidades. Deixamos aqui um convite aos interessados em fazer acontecer uma ou várias oficinas do Programa Oldnet em sua comunidade. Informações necessárias à implementação do programa, sugestões de atividades em cada etapa, depoimentos em vídeo e quadros ilustrativos integram o conteúdo, que poderá ser ampliado e adaptado de acordo com a realidade e a cultura de cada local.Esperamos que a experiência Oldnet inspire, auxilie e ampare todos aqueles que desejam construir novas oportunidades educativas visando integração do idoso à sociedade da informação, formação de jovens cidadãos e desenvolvimento social, econômico e sustentável para as gerações atuais e futuras. Boa leitura e mãos à obra!

Acesse já:
http://www.oldnet.com.br/index.htm

Categoria: Internet "Brasil terá 40% dos idosos da América Latina em 2025"



Da Agência Estado

O Brasil e em especial a gerontologia - ramo que reúne profissionais e serviços especializados em pessoas da terceira idade - não estão preparados para receber o número de idosos que num futuro próximo farão parte da sociedade. Esta preocupação levou o Conselho Federal de Psicologia a realizar o Seminário Nacional Envelhecimento e Subjetividade: Desafios para uma Cultura de Compromisso Social, que termina hoje, após dois dias de reuniões, em Brasília. "Em 2025 teremos, em território nacional, 40% do total de idosos da América Latina", informa a psicóloga e membro do Conselho Nacional dos Direitos do Idoso, Christina Veras.
"Este seminário tem o propósito de abrir um debate entre a psicologia, profissionais e gestores do setor público sobre a necessidade de ampliar as políticas ligadas aos idosos, de forma a influenciar no bem-estar e na produtividade desta que será uma parcela cada vez mais significativa de nossa população", explica a representante da comissão organizadora do seminário.
Segundo Veras, algumas entidades ligadas à questão constataram, nas últimas décadas, uma diminuição dos cuidados dirigidos aos idosos em seus lares. "Quem cumpria este papel eram as mulheres, que ficaram mais ausentes após terem se inserido no mercado de trabalho."
A gerontologia é um ramo composto por profissionais das mais diversas áreas, especializados em serviços e produtos dirigidos aos idosos. "Praticamente todas as profissões podem ter especialização nessa área que, sem a menor dúvida, é um campo muito promissor para o Brasil, tanto na gestão pública quanto no setor privado".
A expectativa dos organizadores é a de - com troca de informações, diálogo e interlocuções - criar uma rede de compromissos envolvendo profissionais que, em geral, atuam de forma independente.
Ao final será preparado um documento no qual os cerca de 130 participantes assumem compromissos com o objetivo de melhorar o funcionamento das instituições de longa permanência para idosos, além de, no caso daqueles que têm acentos no Conselho Nacional do Idoso e no Conselho Nacional dos Direitos Humanos, adotar maior fiscalização sobre as gestões.

Categoria: Internet "Britânicos testam droga que retarda avanço de Alzheimer"



Remédio pode ser lançado no mercado até 2012, dizem os cientistas.
Da BBC

Cientistas britânicos desenvolveram uma droga que pode retardar o avanço do mal de Alzheimer.
Testes da droga, conhecida como 'rember', em 321 pacientes mostraram que houve uma diferença de 81% na taxa de deterioração mental em comparação aos que não receberam tratamento.

Os pesquisadores da Universidade de Aberdeen, na Escócia, disseram que a droga age sobre o acúmulo de uma proteína específica no cérebro.
Especialistas no mal de Alzheimer estão otimistas com os resultados, mas disseram que são necessários agora testes mais amplos para confirmar sua eficácia.
Ao apresentar sua pesquisa na Conferência Internacional sobre o Mal de Alzheimer, em Chicago, Claude Wischik disse que a droga pode ser lançada no mercado até 2012.

Testes

Pacientes com sintomas considerados leves ou moderados da doença receberam 30, 60 ou 100 miligramas da droga ou um placebo.
A dose de 60 miligramas foi a que produziu efeitos mais evidentes - em 50 semanas (cerca de um ano) foram registrados sete pontos de diferença em uma escala usada para medir a gravidade da doença.

Dados

Imagens obtidas com ressonância magnética sugeriram que a droga pode ter seu maior efeito em partes do cérebro responsáveis pela memória.
A ligação entre o acúmulo de uma proteína dentro das células nervosas no cérebro e o mal de Alzheimer foi feita, pela primeira vez, há mais de cem anos.
Mais tarde verificou-se que a proteína, chamada Tau, se acumula dentro das células envolvidas na memória, destruindo-as no processo.
Rember, ou Cloreto de metiltionina, é o primeiro tratamento formulado especificamente para agir sobre Tau.

Outros tratamentos para o mal de Alzheimer tendem a se concentrar no combate a uma proteína no cérebro, beta-amilóide, conhecida por formar plaquetas duras. O mais recente trabalho sugere que atuar sobre Tau pode produzir melhores resultados.

Testes mais amplos da droga estão sendo programados para começar em 2009, e pesquisadores também estão investigando o seu papel na prevenção da doença.
Clive Ballard, chefe de pesquisa da Alzheimer's Society, disse que este "é um grande desenvolvimento novo no combate à demência".
Segundo ele, o resultado dos testes "sugere que a droga pode ter o dobro da eficácia do que qualquer tratamento disponível atualmente".

Categoria: Internet "QUE ABSURDO!"


NOTICIA DA BBC.


Maconha pode preservar memória na velhice, sugere estudo
Droga reduz inflamação no cérebro e induz a formação de novos neurônios.
Da BBC

Cientistas americanos dizem que substâncias presentes na maconha podem ser benéficas para o cérebro à medida que as pessoas envelhecem, reduzindo índices de inflamação e estimulando a formação de novos neurônios.
A equipe, da Ohio State University, em Ohio, nos Estados Unidos, apresentou seu estudo durante uma reunião da Society for Neuroscience na capital americana, Washington.
saiba mais

O trabalho indica que a criação de uma droga legal que contenha certas propriedades similares às da maconha poderia ajudar a prevenir ou retardar a chegada de doenças como o Mal de Alzheimer.

Embora a causa exata desta doença seja desconhecida, acredita-se que uma inflamação crônica no cérebro contribua para a perda da memória.

A intenção dos cientistas é criar uma nova droga cujas propriedades seriam semelhantes às da tetrahidrocanabinol, ou THC, a principal substância psicoativa da planta da maconha - mas sem o efeito inebriante da droga.

Ao lado de nicotina, álcool e cafeína, a THC, quando consumida em moderação, tem demonstrado uma certa eficácia em proteger o cérebro contra inflamações, o que pode se traduzir em uma melhor memória na velhice.

"Não é que tudo o que é imoral seja bom para o cérebro", disse o responsável pela pesquisa, Gary Wenk, da Ohio State University. "Simplesmente, existem algumas substâncias que milhões de pessoas, durante milhares de anos, vêm usando em bilhões de doses, e você está notando que existe um pouco de sinal no meio de todo o ruído".

As pesquisas de Wenk e seus colaboradores já demonstraram que uma droga sintética semelhante ao THC pode melhorar a memória de ratos.

Sua equipe está agora tentando entender como a substância funciona no cérebro.

Um dos co-autores do estudo, Yannick Marchalant, fez testes com ratos idosos usando a droga sintética WIN-55212-2. Ela não é usada em humanos por que pode produzir fortes efeitos inebriantes.

Os especialistas colocaram uma sonda sob a pele dos animais para injetar nos ratos uma dose constate de WIN durante três semanas -- a dose era baixa, de forma a não inebriar os ratos.
Um outro grupo de ratos não recebeu a droga.

Depois, os dois grupos foram submetidos a testes de memória em que eram colocados dentro de uma pequena piscina para determinar quão capazes eles eram de usar pistas visuais para encontrar uma plataforma escondida sob a superfície da água.
Os ratos que tomaram a droga tiveram desempenho melhor em aprender e lembrar como encontrar a plataforma escondida.
"Ratos velhos não são muito bons nessa atividade. Eles podem aprender, mas demora mais tempo para acharem a plataforma", disse Marchalant. "Quando demos a eles a droga, tiveram um desempenho um pouco melhor".
"Quando somos jovens, reproduzimos nossos neurônios e nossa memória funciona bem. À medida em que envelhecemos, o processo fica mais lento e temos uma diminuição na formação de novos neurônios. Você precisa que essas células retornem e ajudem a formar novas memórias, e verificamos que este agente, semelhante ao THC, pode influenciar a criação dessas células".

As pesquisas com ratos sugerem que pelo menos três receptores no cérebro são ativados pela droga sintética. Esses receptores são proteínas do sistema endocabinóide, que controla a memória e processos psicológicos associados ao apetite, humor e resposta à dor.
Entender em detalhe a ação da THC é fundamental para que os criadores de uma nova droga possam dirigir a ação do remédio para sistemas específicos, maximizando seu efeito positivo.
"Será que as pessoas poderiam fumar maconha para evitar o Mal de Alzheimer se a doença estiver na família?", pergunta Wenk. "Não é isso o que estamos dizendo, mas poderia funcionar. O que estamos dizendo, o que nos parece, é que uma substância legal, segura, que imite essas propriedades importantes da maconha pode trabalhar nos receptores do cérebro para evitar a perda da memória na velhice".

Uma coisa já está clara para os cientistas: o tratamento não é eficaz se já existe perda da memória - é preciso reduzir a inflamação, preservar os neurônios existentes e gerar novos neurônios antes que a perda de memória seja óbvia.
Também está claro, segundo os pesquisadores, que a THC sozinha não é a resposta.
Eles esperam encontrar um composto de substâncias que possam especificamente agir na inflamação do cérebro e ativar a formação de novos neurônios.

Categoria: Video "Viatura ocupa vaga para idosos em shopping"

O telespectador do SPTV, Ricardo, flagrou uma viatura da Polícia Civil estacionada em vaga para idosos no Shopping Center Norte. As autoridades deveriam ser as primeiras a dar o exemplo.

Categoria: Internet "Ana de Lima: 'Eu quero participar do BBB da terceira idade'

Ainda bem que ela sabe que é meio louca. Alguém tem dúvida?

Categoria: Internet "STJ proíbe que plano de saúde aumente mensalidade para idosos com mais de 60 anos"



O Superior Tribunal de Justiça (STJ) proibiu que um plano de saúde em Natal (RN) aumentasse o valor da mensalidade em função da mudança da faixa etária para quem tem mais de 60 anos. A decisão foi tomada no último dia 6 de novembro. A ação foi proposta pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte. A decisão vale somente para uma operadora da capital potiguar, mas pode abrir precedente para que clientes de outras empresas também peçam o fim da mudança de preços. Em dezembro de 2003, a operadora enviou carta a clientes avisando que, a partir de janeiro do ano seguinte, os planos para usuários entre 60 e 70 anos sofreriam aumentos que variavam entre 100% e 200%. O Ministério Público pediu a suspensão do reajuste, alegando que ele seria abusivo e iria contra o Código de Defesa do Consumidor. Segundo a relatora do processo, ministra Nancy Andrighi, mesmo antes da entrada em vigor do Estatuto do Idoso, em 2004, o consumidor que atingiu 60 anos ou mais está protegido contra reajustes baseados na idade. “Trata-se de vedar a discriminação do idoso em razão da idade, o que impede especificamente o reajuste das mensalidades dos planos de saúde que se derem por mudança de faixa etária a envolver idosos”, disse a ministra na decisão. No entanto, somente o aumento por faixa etária foi vetado. Eventuais reajustes previstos em lei, como o reajuste anual e o reajuste por sinistralidade, continuam valendo. Essa é a segunda decisão que condenou um plano de saúde a suspender um reajuste por causa da mudança de idade. Em abril deste ano, uma operadora foi obrigada a cancelar um aumento de 185% no plano de uma cliente que havia completado 60 anos. A empresa também foi obrigada a devolver em dobro o valor pago a mais.

Categoria: Internet "Gaúcha comemora cem anos com cerveja, cigarro e torresmo"

A gaúcha Olívia Franco da Silva comemora cem anos nesta sexta-feira (14), em Alvorada (RS). Com um cigarro na mão direita e um copo de cerveja preta na outra, ela desafia todos os protocolos de saúde. E não deve abrir mão de hábitos politicamente incorretos no jantar em que dançará a valsa do centenário. A idosa já alugou um vestido azul para a festa, que vai ter suas comidas preferidas: toucinho, torresmo e morcilha.


Os médicos e a família tentam convencê-la a moderar, mas Olívia não se intimida. Ela fuma uma carteira de cigarro a cada três dias, não recusa uma cervejinha, nem pensa em trocar carne gorda por sopa.

Apesar disso, não tem doença aparente. "Agora que tenho essa idade, ninguém me governa mais. A gente vai fazer o que se não aproveitar a vida?", disse.


Família

Olívia desafia os protocolos de saúde e não dispensa cerveja preta (Foto: Daniel Marenco/Zero Hora/Ag.RBS)
Filha de agricultores, Olívia trabalhou desde a infância na roça. Na lida do campo, aprendeu que precisava de “sustância”. Ainda hoje, come viradinho de feijão no café-da-manhã. "Só falam de arrozinho, massinha, bolachinha. Essas comidas delicadas não dão força para a pessoa", afirma. Mãe de 10 filhos, com “uma fazenda de netos, bisnetos e trinetos”, orgulha-se de nunca ter ficado internada em hospital. Acostumada a remédios caseiros, segue fazendo seu próprio xarope, com agrião. Satisfeita com o século bem vivido, não deixou sonhos pelo caminho. Nem se arrepende de ter desistido do segundo casamento depois da viuvez, há 25 anos. Pra quem quer viver muito, ela não recomenda seguir o seu exemplo. "Tem que pedir ajuda a Deus, que ele é quem sabe", diz.

*(Com informações do Zero Hora)

Categoria: Internet "Musculação diminui o risco de diabetes em idoso"

Esta sexta-feira (14) é o Dia Mundial do Diabetes.Pesquisa revela que atividade física pode ajudar a combater a doença.
Isis Nóbile Diniz Do G1, em São Paulo


O que fazer depois dos 60 anos para preencher o tempo livre da aposentadoria? Musculação. Entre levar uma vida sedentária trancafiado dentro de casa ou freqüentar uma academia é melhor seguir a segunda opção. Pode parecer um passatempo voltado aos jovens, mas um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) mostrou que o exercício físico com pesos reduz os riscos dos idosos desenvolverem a diabetes não hereditária.
saiba mais


A pesquisa orientada pela professora Mara Patrícia Traina Chacon Mikahil, da Faculdade de Educação Física (FEF) da Unicamp, submeteu dez homens acima de 60 anos -- sedentários e saudáveis -- ao treinamento com pesos durante 16 semanas. O resultado foi comparado com um outro grupo formando por oito idosos. Foram avaliados os efeitos dos exercícios sobre a resistência à insulina (RI) -- hormônio responsável pela redução da taxa de glicose no sangue --, composição corporal e força muscular. O grupo que se exercitou apresentou o índice de Homeostasis Model Assesment (Homa), que mede o fator de RI, abaixo de 2,71. Em idosos, o número acima desse valor significa que possui potencial para desenvolver a diabetes mellitus tipo 2. Os exercícios físicos não diminuem esse fator, mas o aumento da força muscular significa menor risco no desenvolvimento da doença. Principalmente, porque a gordura corporal relativa do corpo diminui. Denise Reis Franco, endocrinologista e coordenadora de educação em diabetes da Associação de Diabetes Juvenil (ADJ) explica que no idoso a doença é silenciosa. “Ele se sente cansado, desanimado e deprimido e acredita que isso não é nada”, conta. “Quando vai realizar um exame de rotina ou apresenta alguma complicação como um infarto, acaba descobrindo a doença”, diz. A maioria dos adultos desenvolve a doença por volta dos 40 anos. A partir dessa idade, é comum ela estar associada a outras doenças como hipertensão. A diabete pode causar doenças cardiovasculares, insuficiência renal e até cegueira. “Depois dessa complicação da doença, só basta tratar”, diz Denise. Segundo relatório do Sistema Único de Saúde (SUS), de 2005, a hipertensão arterial e o diabetes mellitus são doenças de alta prevalência. Entre as cardiovasculares, o derrame ou Acidente Vascular Cerebral (AVC) e a doença coronariana aguda são responsáveis por 65% dos óbitos na população adulta. A partir dos 60 anos, as pessoas apresentam uma somatória de doenças. “O idoso deve relatar isso ao médico, pois as medicações podem interagir”, explica.

Para viver melhor
O último Censo de Diabetes foi realizado em 1988 pelo Ministério da Saúde. Mostrou uma prevalência de 7,6% de diabetes na população brasileira de 30 a 69 anos. Destes, cerca de 50% não sabiam que tinham a doença. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, o número de diabéticos e pré-diabéticos está aumentando devido ao crescimento e envelhecimento populacional, maior urbanização, crescente prevalência de obesidade, sedentarismo e maior sobrevida do paciente. “Por isso o idoso não deve ficar em casa levando uma vida sedentária”, diz Fernanda Castelo Branco, nutricionista. É indicada a atividade física, independente da idade. O principal cuidado deve ser com a adaptação do exercício à condição física. “A visão e o músculo do idoso fica mais lento, por isso é importante acompanhamento na hora dos exercícios”, afirma Fernanda. “Caminhar nas nossas calçadas, por exemplo, pode ser um perigo. Ele pode cair e piorar sua condição física”, alerta.

O que é pré-diabetes
Trata-se de uma condição clínica em que o paciente apresenta níveis elevados de glicose -- açúcar -- no sangue, mas inferior para obter o diagnóstico de diabetes do tipo 2. Porém quem possui o pré-diabetes apresenta 34% mais chance de falecer devido a um problema cardiovascular ou derrame cerebral.

Diferença entre tipos 1 e 2
A diabetes tipo 1 é uma doença auto-imune, genética, que pode aparecer até na idade adulta. A tipo 2 pode ser “adquirida”. Quem pode identificar a diferença é um médico. “Geralmente, quem possui a tipo 1 não produz nada de insulina”, diz Fernanda. A doença tipo 2 pode ser evitada.

Como evitar
Fatores de risco que podem colaborar com o desenvolvimento da doença: parentes com diabetes; comer muita gordura, doces ou manter uma má-alimentação de alta caloria; hipertensão; sedentarismo. As dicas de prevenção são: evitar o sedentarismo e ganho de peso; comer de cinco a seis vezes ao dia, de três em três horas; manter uma alimentação equilibrada, pode comer doces, só deve evitar o exagero; se alimentar com frutas, verduras e legumes; ingerir fibra para melhorar a digestão, como cereais integrais, frutas in natura e hortaliças cruas; beber água; diminuir o consumo de gordura e álcool; fazer exames de prevenção anualmente. Atenção: “O idoso é mais lento, gasta menos energia e possui digestão mais devagar. Assim, os alimentos escolhidos devem ser de fácil mastigação e fracionado ao longo do dia”, diz Fernanda. Sinais de alerta: diminuição brusca de peso, inchaço nas pernas, obesidade ou sobrepeso, urinar muito, sentir sede demais, ter dores no corpo e fome extrema.

Por que hoje?
Em 1991, o Dia Mundial do Diabetes foi criado pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) devido ao aumento do interesse sobre a doença. Inclusive, no dia 14 de novembro, nasceu Frederick Bantin. O pesquisador canadense e seu colega Charles Best descobriram a insulina em 1921. (Fonte: Sociedade Brasileira de Diabetes)

Categoria: Internet - GLOBO REPORTER - "Sexo depois dos 60"



O amor veio de repente, de mansinho. A pensionista Eurides Peres da Silva e o aposentado Ildo Mazzola mal se deram conta, mas já estão namorando há cinco anos. O tempo não levou o carinho. Pelo contrário, deixou o namoro mais fácil, menos complicado, e trouxe até uma liberdade que eles não conheceram na juventude.
"Quando eu era nova, meu pai não deixava. Tinha que sair só com a permissão dele. Então, era ruim. Agora, nós saímos e não damos conversa para ninguém. Temos mais liberdade, por isso, está melhor agora", comemora Eurides.
Eurides tem 67 anos. Ildo, 68. Os dois mantêm uma relação moderna: cada um na sua casa. São viúvos, com filhos criados e netos crescendo.
"É legal ver minha mãe namorando. Ela está se divertindo, está saindo. É bom", comenta o administrador de empresas Mário Sérgio da Silva.
Todo sábado à noite Ildo espera no sofá enquanto Eurides se enfeita para o baile.
"Quando começamos a dançar, eu perguntei se ela queria namorar comigo. Foi no mesmo dia", lembra Ildo.
"Eu disse: 'Olha que eu vou aceitar'", completa Eurides.
Para que perder tempo e para que guardar sorrisos? Eurídes e Ildo fazem parte de uma turma que passou dos 60 com sede de viver.
"Acho que é importante o sexo no namoro, mas não tanto como quando somos novos. Agora é mais calmo, mas tem que ter o seu dia", diz Eurides.
"Muda bastante para o homem também. Continua a mesma coisa, mas vai diminuindo", completa Ildo.
Com a saúde em dia, o sexo faz bem em qualquer idade. Mas o desafio nesta fase da vida é ajustar o descompasso que existe no interesse sexual de homens e mulheres. Maria Lúcia Lebrão coordena uma pesquisa sobre saúde, bem-estar e envelhecimento na cidade de São Paulo. Foram ouvidos moradores com mais de 60 anos. Quando perguntados sobre sexo, 51% dos homens responderam que têm vida sexual ativa e apenas 15% das mulheres.
"No momento em que a mulher já não tem mais a condição da procriação, muitas culturas passam um pouco a idéia de que a atividade sexual pode ser uma coisa impura, uma coisa suja. Ao passo que para o homem não. Ele mantém o interesse pela vida sexual até o fim da vida praticamente", explica Maria Lúcia Lebrão.
"Esse ainda é um estigma no Brasil. Infelizmente, quando vão envelhecendo, as pessoas não ficam muito à vontade em dizer que ainda sentem desejo, necessidade sexual. A longevidade é uma situação cada vez mais instalada. Então, se nós vamos viver 90, 100 anos, vamos agora aposentar a nossa vida sexual aos 50? Teremos 30, 40 anos de vida sem atividade sexual? Não se admite mais isso", diz a pesquisadora Carmita Abdo, da Universidade de São Paulo (USP).
Eurides e Ildo querem ajudar a desenhar esse novo mapa do comportamento sexual do brasileiro. Querem aproveitar todo o tempo para ser feliz. Corpo em dia, cabeça leve e um coração aberto para o amor.
"Tem horas que você pode ser vovó e tem horas que você não é vovó", brinca Eurides.

Categoria: Video "Mercado de trabalho: conheça o cuidador de idosos"

Esse mercado de trabalho cresce na medida em que a expectativa de vida da população aumenta. Mas é preciso se preparar para a função, além de ser atencioso e paciente.

Categoria internet: "Mitch Mitchell, baterista de Jimi Hendrix, morre aos 62 anos"

Mitch Mitchell, baterista conhecido pela parceria com Jimi Hendrix nos anos 1960, morreu nesta quarta-feira (12), aos 62 anos de idade.
Mitchell foi encontrado morto em seu quarto de hotel em Portland, Oregon. Um porta-voz do instituto médico legal do condado de Multnomah disse que ele aparentemente morreu por causas naturais, embora um laudo formal ainda não tenha sido divulgado.
Portland era a última parada de 18 cidades norte-americanas pelas quais passou uma turnê "Experience Hendrix", série de shows que celebra o legado do ícone do rock.
"Estamos todos desolados com a morte de Mitch. Ele era um homem maravilhoso, um músico brilhante e um amigo de verdade", disse a irmã de Hendrix, Janie Hendrix, em um comunicado.
"Seu papel em dar forma ao som do 'Jimi Hendrix Experience' não pode ser subestimado", disse. "Ao longo desta turnê, ele parecia encantado com a troca com outros músicos e o público. Não há dúvidas de que ele fazia o que amava".
Nascido na Grã-Bretanha, Mitchell começou como ator mirim, mas abandonou a carreira para fazer jazz e rock. Ele se juntou ao Jimi Hendrix Experience em 1966 e deu apoio ao roqueiro durante sua apresentação lendária em Woodstock, três anos depois. Ele também tocou bateria em clássicos como "Fire", "Manic depression" e "Third stone from the sun".
Mitchell também ajudou a criar o estilo de bateria "fusion", que combina rock e jazz, e foi influenciado por gigantes do jazz como Elvin Jones e Max Roach. O estilo fez da bateria a estrela das músicas, criando um conceito inovador para o rock 'n roll.
Hendrix --compositor, guitarrista e showman-- foi um pioneiro da cena psicodélica dos anos 1960 e morreu em setembro de 1970, aos 27 anos.

Categoria internet: "Idosa sueca torna-se 'rapper' de sucesso aos 93 anos"

Para não cantar em uma festa natalina, ela disse que só sabia rap.'Foi um erro, porque disseram sim', conta Greta Segerson.

Greta Segerson fez sucesso cantando rap

Greta Segerson, uma sueca de Gotemburgo de 93 anos, conquistou a fama como "rapper" através de sua versão de uma antiga música de marinheiros, das apresentações em sua cidade natal e da divulgação de um vídeo no YouTube. (clique aqui para assistir).
A carreira musical de Greta começou há dois anos, quando, para não se apresentar em uma festa natalina para aposentados, mentiu dizendo que só sabia cantar rap, pensando que sua proposta seria rejeitada.
"Foi um erro, porque disseram sim", disse nesta quinta-feira (13) ao jornal "Expressen". A idosa é autora de uma versão em ritmo de rap da música "Jolly Bob fran Aberdeen", clássico tema de marinheiros e o único de seu repertório.
Greta diz que nunca ouve hip-hop em casa, nem sequer se considera uma verdadeira rapper, mas isso não foi obstáculo para sua popularidade. A sueca, que se apresentou na inauguração de um asilo, em festas de aniversário e em uma recente cerimônia no Teatro Municipal de Gotemburgo, foi protagonista de artigos em vários jornais de tiragem nacional e de reportagens na televisão local.
O vídeo de Greta colocado no YouTube recebeu quase 30 mil visitas em apenas duas semanas. Apesar da fama e dos dotes de cantora e dançarina, a "rapper mais velha do mundo", como a imprensa sueca chama a idosa, pensa em se aposentar.
"Estou um pouco cansada e cheia de 'Jolly Bob'. Vou fazer 94 anos, portanto, é hora de parar. Na verdade, não acho que seja tão divertido estar sobre um palco, mas é claro que gosto que as pessoas fiquem felizes em me ver", reconhece.



Categoria internet: "Aos 93 anos, universitário usa sala de aula como terapia"

Jaime Kuperman decidiu estudar logo depois da aposentadoria. Universidades abrem programas de estudo para quem tem mais de 40.



Jaime Kuperman, 93 anos, que estuda há 11 anos na Universidade Aberta à Maturidade, da PUC-SP

Quando se aposentou há 11 anos, Jaime Kuperman decidiu entrar na faculdade. Hoje, aos 93 anos ele usa a sala de aula como uma terapia: “Gosto de trabalhar, ler e escrever. Vou à faculdade em vez de procurar um consultório médico”, brinca. “O que esqueci, estou aprendendo de novo. Nas aulas, estamos sempre aprendendo coisas novas”, diz.
O estudante faz parte do programa Universidade Aberta à Maturidade, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Dentre os conteúdos que já estudou estão disciplinas como economia, religiões, história do Brasil, história universal, psicologia e filosofia. “Existe uma professora que é especialista em história da cidade de São Paulo. Com ela, nós visitamos lugares que as pessoas nem imaginam que existam”, anima-se. Um dos estudos de campo foi ao bairro Jardim Anália Franco, na Zona Leste da capital, para conhecer a história da professora, jornalista e filantropa que deu nome à região.

Kuperman decidiu estudar logo após a aposentadoria

Mulheres na sala de aula
Segundo um dos coordenadores do curso na PUC-SP, o sociólogo e gerontólogo Antônio Jordão Netto, a procura pelas atividades é predominantemente feminina. “A procura é 99% de mulheres. Elas, ao envelhecer, vão se abrindo. Já os homens vão se fechando”, aponta. Não foi esse o caso de Kuperman, se bem que foi um susto quando ele ingressou no programa. “Na classe havia 52 mulheres e um homem, que era eu. Cheguei perto da professora e disse: ‘Ora, doutora, acho que estou no lugar errado’. E então ela me respondeu: ‘Você está bem servido’”, lembra ele. Viúvo desde 1998, Kuperman afirma, no entanto, que não está em busca de uma nova namorada. “Embora não faltem pretendentes.”
Como é o curso
Os cursos regulares duram quatro semestres, com encontros duas vezes por semana, à tarde, das 14h às 17h. Não há exigência de nenhum diploma, a não ser a idade mínima de 40 anos. Mas até neste quesito há flexibilidade, pois, se alguém mais jovem quiser freqüentar as aulas, pode solicitar a inscrição.
“Trabalhamos com reciclagem e atualização cultural. É importante colocar o aluno dentro do mundo atual. São pessoas com longa experiência de vida”, diz Jordão Netto. Além do trabalho na PUC-SP, ele coordena o programa Universidade Sênior, no Centro Universitário Sant’Anna (UniSant’Anna). Os dois programas seguem praticamente o mesmo modelo, com pequenas diferenças, por exemplo, no conteúdo. Boa parte do corpo docente, segundo Jordão Netto, é o mesmo nas duas instituições.
Cada turma costuma ter seis matérias por semestre, com programas variados. Além delas, o curso também oferece disciplinas optativas, como informática, danças contemporâneas, coral e até a prática da arte marcial chinesa do tai-chi-chuan. Vale destacar que depois de quatro semestres a universidade oferece um certificado, o que não impede os alunos de continuarem no curso.
“E o mais interessante é que este é um curso que é programado para começar, mas não para terminar. Se o estudante quiser, pode continuar, pois há sempre novas matérias. Na PUC, temos 17 anos de funcionamento e alunos que estão desde o começo, outros com 15 anos de curso”, afirma.
Cada sala de aula tem, em média, de 30 a 35 alunos. “O pessoal não falta. E quando algum professor tem de faltar, os estudantes ficam bravos. É um programa de utilidade pública: estamos tirando pessoas de consultórios médicos, de leitos hospitalares.”
Serviço

Universidade Aberta à Maturidade – PUC-SP
Preço: R$ 684 por semestre (ou R$ 720, divididos em cinco parcelas de R$ 144) Se o estudante apresentar um amigo, a semestralidade sai por R$ 650 (cinco vezes de R$ 130) Início do curso: 2 de março de 2009 Aulas: às segundas e quartas, das 14h às 17h Endereço: Rua Ministro Godói 969, Perdizes, São Paulo Site: http://cogeae.pucsp.br/ Informações: (11) 3124-9600
Universidade Sênior – UniSant’Anna
Preço: R$ 450 por semestre (a quantia pode ser dividida em cinco vezes de R$ 90) Início do curso: março de 2009 Aulas: às quartas e quintas, das 14h às 17h Endereço: Rua Voluntários da Pátria 498, Santana, São Paulo Site: http://www.unisantanna.br/site/ Informações: (11) 2175-8000 – ramal 8120, das 14h às 21h

PARABÉNS F6 PELAS 200 POSTAGENS

Com esta postagem comemorativa chegamos a 200 postagens, abraçamos mesmo o ideal do Blog na defesa do direito ao respeito do idoso e desde o dia 24/05/2008 completamos hoje 11/11/2008 200 postagens, dando uma média mensal de 36 postagens, nosso Blog Social não foi só mais um trabalho acadêmico, mas sim permanente, pois fizemos deste blog nossa força de união da agência .

Obrigado F6
Paulo
F6 - Comunicação Social

Categroria: Video "Divórcio cresce entre pessoas com mais de 60 anos"

Está enganado quem acha que somente os casais jovens se separam. O número de divórcios de pessoas com mais de 60 anos tem crescido muito, segundo o IBGE.

Lúcia Wen começa o dia na academia. A malhação é só uma das mudanças na vida da médica de 60 anos: separada há um ano, com três filhos e três netos, Lúcia quis se dar uma nova chance. “Chegou um momento em que eu falei: ‘ou é agora ou nunca!’ Parti para essa decisão, que foi difícil. Demorou37 anos, mas um dia saiu”, conta.

Ela diz que a vida melhorou. “Hoje tenho a liberdade de fazer o que eu quero, quando eu quero e como eu quero. Agora estou à minha disposição, e não à disposição dele”, diz Lúcia. A separação de casais com mais de 60 anos está deixando de ser uma exceção.

Dados do IBGE mostram que aumenta a cada ano o número de pedidos de divórcio nessa faixa de idade. É gente que olha para o futuro e decide que é hora de recomeçar. Em 2003, foram 9.949 divórcios pedidos por homens; em 2006, foram 12.719 – um aumento de 28%. Entre as mulheres, no mesmo período, o aumento de pedidos foi maior: de 5.805 em 2003 para 7.506 em 2006, ultrapassando os 29%.

Para o geriatra Einstein Camargo, o fenômeno é associado ao aumento da expectativa de vida dos brasileiros. “O homem tende a sair mais de casa inclusive por conta das novas medicações para tratamentos da impotência. A mulher que tem independência financeira e profissional também faz parte do grupo que sai do casamento nessa faixa etária”, explica.

Esse é o caso de Lúcia, que está cheia de planos. “Nunca é tarde pra recomeçar, tanto pode ser aos 60 como aos 70. Se a pessoa se dispõe a ter uma nova vida, qualquer momento eu acho que é momento”, ensina. “Eu ainda tenho 20 anos pela frente

Categoria: Internet "60 exercícios para manter seu cérebro vivo"



Até pouco tempo se pensava que apenas o físico poderia ser moldado. Agora, com o advento da Neurobiótica, se sabe que não só o corpo, mas também o cérebro pode ser “malhado” e ficar “sarado”. Exercícios para o cérebro o reforçam e fazem com que permaneça ativo e forte muito mais tempo. Hoje, a Revista Melhor Idade oferece aos seus leitores e leitoras 60 dos 83 exercícios que fortalecem o cérebro e que estão no livro “Mantenha seu Cérebro Vivo”, escrito pelo neurobiologista Lawrence Katz, do Centro Médico da Universidade Duke. A Neuróbica proporciona uma estratégia para manter o cérebro forte na medida que se envelhece.E o cérebro tem extraordinária capacidade de converter certas atividades mentais em auto-ajuda. E o bom disso tudo é que não há necessidade de tempo ou lugar especial para essas atividades, pois elas se acoplam ao nosso dia-a-dia. A seguir, 60 dos 83 exercícios capazes de manter seu cérebro vivo:

1 - Acorde e sinta o cheiro da baunilha. Não acorde só com café. Mude.
2 - Tome banho com os olhos fechados. Use o tato.
3 - Escove os dentes com a outra mão.Use o lado oposto do cérebro.
4 - Escolha roupas de olhos fechados. O uso dos dedos “inspira” o cérebro.
5 - O que você disse? Use tampões nos ouvidos e experimente o mundo sem som.
6 - Introduza novidades.Varie a ordem da rotina. Vista-se depois do café da manhã.
7 - Sinfonia sensorial no banho. Odor evoca sensações. Combine odor e música.
8 - Prazer auditivo. Leia em voz alta com o parceiro. Alternem-se para ler.
9 - Sexo: O supremo exercício neuróbico. Use todos os sentidos.
10 - Comece sem ver. Se vai de carro ao trabalho, ligue-o de olhos fechados.
11 - Desbrave novos caminhos. Siga um percurso diferente para o trabalho.
12 - Sinta-se no controle. Estimule o tato no dirigir, sinalizar e passar a mudança.
13 - Janelas de oportunidades.Abrir a janela enquanto guia deixa entrar bons cheiros.
14 - É tempo de pôr luvas. A pele tem receptores para calor, frio e pressão. Use-os.
15 - Siga seu nariz. Associe cheiros com algum lugar.
16 - O perfume da música. Use aromas para associar cheiros e sons.
17 - O toque de Midas. Ponha moedas no carro ao dirigir e adivinhe o valor pelo tato.
18 - Seja sociável. Fale sempre com as pessoas.
19 - Pensamentos solidários. Mantenha uma conversa animada em grupo.
20 - Deixe os outros guiarem. Procure interagir com as pessoas ao redor.
21 - Mude um pouco as coisas. Comece por colocar o relógio no outro pulso.
22 - Veja as coisas sob nova luz. Cor é emoção. Use lâmpadas de várias cores.
23 - Faça com que as tarefas tenham cheiros. Associe odor a uma tarefa específica.
24 - Aprenda Braille. Use seus dedos para “ver” e o cérebro agradecerá.
25 - Leve alguém ao seu trabalho. O que para você é normal, para ela será novo.
26 - Tempestade cerebral: Reúna idéias sobre determinado assunto e associe-os.
27 - Pausas para o cérebro.Refeições oferecem um tempo para o relaxamento mental.
28 - Jogo de xadrez permanente. Avalie vantagens estratégicas em sua vida.
29 - Adapte, adote ou adicione. Providencie nova almofada. Colecione pequenos objetos. Não almoce no mesmo lugar.
30 - Visite feira livre. Sem lista, invente refeições com produtos de aspecto e cheiro bom.
31 - Visite mercados étnicos. O nariz distingue odor. Aproveite para cheirar e lembrar algo.
32 - Açougue, padaria, peixaria. Na padaria seu olfato faz um valioso exercício.
33 - Neuróbica no supermercado. Feche os olhos e distingue as frutas pelo cheiro ou casca.
34 - Desperte o caçador-colhedor em você. Observe e colha plantas, frutas e legumes.
35 - Caça ao tesouro. Você faz a lista e outro vai ao mercado, ambos têm benefícios.
36 - A interação social nas compras. Visite lojas menores, brechós, e use seus sentidos.
37 - Refeições é acontecimento social. Tire a tevê da mesa.
38 - Coma em silêncio. O sabor se tornará mais intenso e os sons mais nítidos.
39 - A dança das cadeiras. Todos podem trocar de lugar na hora das refeições.
40 - Experimente alimentos diferentes tampando o nariz.
41 - Refeição democrática. Cada pessoa da família sugere um prato.
42 - Gosto do passado. Procure alimentos que tragam memórias da infância.
43 - Introduza novidades. Mude a ordem em que come os alimentos.
44 - Ponha tempero no cenário. Refeição não é apenas comida.
45 - Alimente o pensamento. Experimente pratos que sejam novidade para você.
46 - Feche os olhos e abra a mente. Identifique a comida pelo tato, olfato e gosto.
47 - Festival do vinho.Amigos trazem garrafas diferentes e vocês comparam.
48 - Você é quem cozinha. Prepare a refeição desde o início. Prove a cada instante.
49 - Refeição sensual. Vale velas, flores, música e...
50 - Novos lugares e rostos. Vá onde nunca esteve. Ofereça coisa nova aos sentidos.
51 - Acampe.
52 - Participe de projeto comunitário.
53 - Férias? Nunca vá ao mesmo lugar! Seja criativo, viaje ao acaso, sem destino certo.
54 - Trate de se expressar. Cantar ou ler em voz alta liga os dois lados do cérebro.
55 - Fale em silêncio. Use apenas sinais.
56 - O jogo das dez coisas. Pegue um objeto e imagine ele virando dez coisas diferentes.
57 - Adivinhe do som. Grave sons, reúna amigos e peça que adivinhem o que é.
58 - Ginástica cerebral. Varie sua rotina de exercícios físicos. Freqüente parques e praças.
59 - Inicie um novo hobby.
60 - Cultivar jardim é cultivar o cérebro Apalpe a terra, cheire flores, frutas e ervas.

Dr. João Senger - Presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia/RS. Rua Frederico Mentz, 376, Hamburgo Velho - Novo Hamburgo. Fone 3594.5367.