Aguardando convocação, Beckham vira "neto do ano"

Beckham, a avó e suas amigas. Foto: The Sun/Reprodução
Beckham, a avó e suas amigas
Foto: The Sun/Reprodução

Enquanto aguarda pela convocação oficial para os Jogos de Londres, o superastro inglês David Beckham aproveitou uma folga para visitar a sua avó, em uma casa de repouso.
Segundo o jornal inglês The Sun, o veterano de 37 anos foi até Peggy West de surpresa, em uma visita a Londres. As amigas da vovó Beckham também ficaram muito felizes de ver o atleta, que esperar estar na lista de convocados para o torneio olímpico de futebol.
Beckham também encontrou a sua mãe Sandra, e teria dito que "não há nada melhor".

Palmirinha ensina como usar banco pela internet em anúncio

A cozinheira Palmirinha é a estrela da nova campanha do Itaú Unibanco
A cozinheira Palmirinha é a estrela da nova campanha do Itaú Unibanco

O Itaú Unibanco lançou nesta quarta-feira uma campanha de incentivo ao uso dos serviços da instituição pela internet. Na peça publicitária, postada nas redes sociais, a cozinheira Palmirinha aparece passando uma receita, mas diferente do habitual, ela ensina como utilizar as ferramentas do banco pela internet e pelo celular.
O vídeo é uma das peças que integrarão uma campanha - que deverá durar três meses - assinada pela F.biz. "Além do uso do autoatendimento nos caixas eletrônicos, queremos chamar a atenção dos nossos clientes para a conveniência e a simplicidade com que qualquer pessoa pode acessar o banco pela internet e pelo celular", afirmou em nota Cristiane Magalhães, diretora de Marketing de Negócios do Itaú Unibanco.
Na década de 90, antes de ser apresentadora de TV, Palmirinha trabalhou para o banco, preparando cafés da manhã para servir à rede de agências da instituição. De acordo com o Itaú Unibanco, Palmirinha foi escolhida porque é uma pessoa que se comunica com diversos públicos.
"É a primeira vez que Palmirinha protagoniza uma campanha de banco e, ao contrário do que todos poderiam esperar, não está à frente de uma comunicação voltada para aposentados. Aos 82 anos, ela mostra como é fácil acessar o Itaú 30 horas pela internet e pelo celular, desafiando até o consumidor mais jovem a inovar na forma de utilizar os serviços do Itaú", afirmou em nota Lisi Kindlein, diretora de criação da F.biz.

Geriatras alertam para os perigos da medicina antienvelhecimento


Flávia Villela, Agência Brasil

“Além da falta de comprovação científica quanto à sua eficácia, as novas terapias de combate aos efeitos do envelhecimento podem comprometer o bom funcionamento do organismo e aumentar os riscos de câncer, segundo a presidenta da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Silvia Pereira. A reposição de nutrientes e o uso de remédios, como hormônio do crescimento (GH), para ganhar músculos e queimar gordura com facilidade, podem aumentar a incidência de cânceres.

“Estão vendendo ilusão de antienvelhecimento para a população sem nenhuma comprovação científica e que pode fazer mal a saúde. Com a idade, o metabolismo mais lento e a ingestão de algumas substâncias podem aumentar o risco de várias doenças”, alertou a médica.

Segundo ela, estudos sobre vitaminas E, C e betacaroteno, por exemplo, apontam que, se consumidas em excesso, essas substâncias aumentam o risco de câncer e não reduzem doenças crônico-degenerativas. O tema será discutido durante o 18º Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia, que reunirá mais de 4 mil pessoas. O encontro começa amanhã (22) e termina na sexta-feira (25). Entre os convidados está o especialista em longevidade Tomas Perls, da Boston University School of Medicine, nos Estados Unidos.

O diretor da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rubens de Fraga, ressaltou que velhice não é doença e, portanto, não deve ser prevenida. “Hoje os consumidores estão obcecados com o envelhecimento. Esse mercado gera US$ 100 bilhões por ano no mundo. Tem seu lado positivo, que é a busca da alimentação balanceada e do exercício físico. Mas tem o lado negativo, que é o medo das rugas e a idolatria dos ideais de juventude eterna. Os velhos são bibliotecas vivas e em muitos casos sustentam famílias inteiras. Não existe uma pílula mágica. O importante é buscar envelhecer com autonomia e independência.”

Ele criticou a venda dos chamados hormônios bioidênticos para retardar a velocidade do envelhecimento, que são produzidos em laboratório, e passam por um processo industrial de síntese, transformação ou de modificação na sua estrutura química. “Não existe estudo científico sério que ateste qualquer benefício dos hormônios chamados bioidênticos manipulados. A fabricação individualizada de um hormônio é praticamente impossível.”
Na sexta-feira, geriatras, gerontólogos e representantes do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Médica Brasileira (AMB), entre outros, vão discutir a criação de mecanismos para coibir a prática do antienvelhecimento no Brasil. O encontro será aberto ao público. Mais informações podem ser obtidas no site http://www.cbgg2012.com.br/ .”

Skingen apresenta o creme do futuro, agora!!

Skingen – Skingen Lab
Totalmente desenvolvido no Brasil, fica disponível ao público este mês a tecnologia Skingen. A idéia é confeccionar cremes personalizados para cada paciente, de acordo com a análise de um pequeno pedaço de pele retirada da região perto da orelha (realizada pelo médico dermatologista). A empresa Skingen Lab (do grupo Boticário) estudou e selecionou 18 genes humanos implicados no processo do envelhecimento da pele. Nas amostras retiradas dos pacientes, são avaliadas e quantificadas as proteínas produzidas por esses genes, proporcionando assim uma base de availiação para o estado de hidratação da pele, a produção de fibras colágenas e elásticas, proliferação das células, controle da produção de melanina, entre outros fatores. Depois de finalizado, o laudo do laboratório é avaliado pelo médico, que escolhe os componentes que mais trarão benefícios para a pele do paciente. O veículo do creme em si já é uma novidade. Nomeada tripla nanotecnologia, as micropartículas presentes na fórmula penetram profundamente, e de forma eficaz, na camada córnea, epiderme e derme. Em geral, o creme é feito com 26 ativos diferentes. O médico também pode escolher o veículo do produto de acordo com o tipo de pele do paciente (normal, seca ou oleosa), tudo isso pelo site do fabricante. O paciente faz a encomenda do produto no próprio site, e este é entregue em casa. O frasco é um show. Tem uma válvula na parte superior que, uma vez apertada, libera a quantidade exata de creme a ser passada no rosto. Tudo muito moderno!! Custa entre R$500,00 e R$600,00 (sem contar com a biópsia).

Jogador da NBA disfarçado de Idoso dá show

Trata-se de uma jogada de marketing da Pepsi, com o perdão do trocadilho. O jogador Jyrie Irving foi maqueado, mudou a voz, as roupas e foi assistir seu "sobrinho" em um jogo de basquete de rua. Com uma "contusão" combinada, o sobrinho sugere que seu "tio" entre no time. Os outros jogadores ficam sem entender. No vídeo abaixo você vê o show que o "velhinho" dá.



Fonte: http://biteleco.blogspot.com/2012/05/jogador-da-nba-disfarcado-de-velho-da.html#ixzz1wBQmoSKu

Concurso elege, na 16ª edição, os idosos mais belos de Limeira SP

Entre a torcida organizada pelos grupos do projeto Vivência estavam os familiares dos candidatos aos títulos de misses e mister Terceira Idade. "Minha namorada está na torcida, dando o maior incentivo", falou o aposentado Dario Silveira Cintra, 64 anos, que na primeira participação no concurso foi consagrado o Mister Simpatia, na tarde de ontem.


Cintra é do grupo "Vida e Esperança", do Parque Nossa Senhora das Dores, e estava animado com o desfile na passarela. "Tudo é festa, não pode haver preconceito", declarou. Ele disputou o título de Mister Terceira Idade ao lado de mais seis candidatos. O vencedor foi José Orlando Giotto, que segue para a etapa estadual.

Já nas duas categorias femininas, idosas com idade acima dos 60 e dos 70 anos, estava na disputa Arlinda Silva, 63, que retornou à passarela após 49 anos. "Quando tinha 14 anos, fui uma das princesas de um concurso de beleza de Ribeirão Preto. Agora, estou tendo a chance de desfilar novamente", contou a candidata da Cia. de Teatro "Falando Sério" - um grupo formado por idosas da cidade.

Já Helena Aparecida Fernandes, 61, é veterana da passarela do concurso. No ano passado, ela ficou em terceiro lugar e, mais uma vez, estava tentando uma boa colocação. "Não importa ganhar, o mais legal é participar. Meu filho fala que eu voltei a ser adolescente e realmente me sinto uma moça de 20 anos", declarou a aposentada, que faz parte do grupo "Rosa Mística", do bairro Teixeira Marques.

MULHERES
Diferente de suas concorrentes, Maria Lúcia Pereira de Godoy, 64, nunca tinha pisado em uma passarela. "Aprendi a desfilar nos ensaios. Estou adorando essa experiência e toda a família me apoia", falou.
Apoio dos familiares e amigos é o que não faltou no desfile realizado ontem no salão social do Nosso Clube. Marta Garcia, 67, que participou do concurso no ano passado, estava movimentando a torcida pela candidata do seu grupo "Fé e Alegria", do Jardim Aeroporto. "No ano passado, realizou um sonho que tinha desde os 15 anos. Agora, estou torcendo muito por todos, pois é muito bom participar desse concurso", declarou.

Nas categorias femininas, 17 idosas entraram para a disputa e as vencedoras foram Maria de Lourdes Rodrigues, que vai para a etapa estadual, e Julieta de Gaspari Spagnol, que conquistou a coroa na categoria 70 anos.

A Bateria da Terceira Idade participou da abertura do evento e o Coral da Terceira Idade fez o encerramento. Segundo a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Luciana Sousa Gonçalves, existem 23 grupos da Terceira Idade na cidade e a maioria teve um representante no concurso. "Também participaram três idosos, que não fazem parte dos grupos mantidos pelo Ceprosom. Todos participaram de quatro ensaios e os vencedores, agora, seguem para a etapa estadual do concurso", disse.

Cientistas dizem: Comer menos evita o envelhecimento do cérebro

Foi divulgado que comer menos pode evitar os efeitos típicos da idade avançada. Essa pesquisa foi realizada por cientistas italianos e foi publicada no jornal americano Proceedings of National Academy of Sciences(PNAS).
Os cientistas são da Universidade Católica do Sagrado Coração de Roma, eles descobriram que uma molécula de proteína, chamada CREB1,  que se ativa no cérebro dos ratos submetidos a uma dieta baixa em calorias. A molécula estimula os genes relacionados com a longevidade e o bom funcionamento cerebral.
A conclusão final veio quando os ratos que foram geneticamente modificados para perderem CRB1 não mostraram os benefícios da memória que os ratos com uma dieta pouco calórica, e sim as mesmas deficiências dos ratos que foram superalimentados.
Os ratos que foram geneticamente modificados para perder CREB1 não mostraram nenhum dos benefícios da memória que os ratos com uma dieta pouco calórica, mas sim as mesmas deficiências dos ratos que foram superalimentados.
“Nossa esperança é encontrar uma forma de ativar a CREB1, por exemplo, através de novas drogas, para manter o cérebro jovem sem a necessidade de uma dieta rigorosa”, disse o principal autor Giovambattista Pani, pesquisador do Instituto Geral de Patologiada Faculdade de Medicina da Universidade Católica do Sagrado Coração em Roma.

Trabalhando após a aposentadoria: como fazer uma boa escolha?

Trabalhando após a aposentadoria: como fazer uma boa escolha? (© Divulgação)
Próxima
Anterior

Vale considerar, ainda, o mentoring. Quem escolhe esse caminho tem uma atividade semelhante ao consultor, mas com algumas diferenças importantes. O profissional também elabora um plano de ação para as atividades de determinada empresa - o cliente - mas em vez de apenas apresentar e entregar o projeto, ele vai acompanhar o dia a dia da implementação, corrigindo possíveis falhas e erros.
Villela finaliza explicando que essas não são as únicas opções. O profissional deve fazer uma boa pesquisa, considerar os prós e contras e avaliar se realmente tem interesse em desenvolver a atividade. 'Não se deve excluir nenhuma opção; Esse é o momento de transformar o sonho em realidade', pondera.
Ainda vale um cuidado. Optar por caminhos empreendedores, como franquias e pequenos comércios não é tão fácil como aparenta. A taxa média de sucesso dos empreendimentos no Brasil é muito baixa. 'É preciso se especializar muito e conhecer o negócio'. Isso quer dizer que, sem dedicação você poderá simplesmente acabar com tudo que acumulou durante anos de trabalho.

Japonesa de 73 anos é a mulher mais velha do mundo a escalar o Everest


Reprodução / The Huffington PostTamae Watanebe quebrou o próprio recorde
Se escalar o Everest parace uma missão impossível para muitos, para Tamae Watanabe, uma senhora japonesa de 73 anos, é a mais pura diversão. E agora, depois de quebrar seu próprio recorde, ela é a mulher mais velha do mundo a realizar a façanha.

Tamae chegou a 8.848 metros de altura, acompanhada de outros quatro membros da equipe. Ela já havia realizado a escalada antes, em 2002, com 63 anos de idade e agora, uma década depois, decidiu voltar para quebrar seu antigo recorde.

Apesar de surpreendente, ela não é a pessoa mais velha que já escalou o Everest. Desde 2008 o nepalês Min Bahadur Sherchan, com 76 anos de idade na época, é o detentor da marca.
Da Redação

Mulher de 80 anos canta e dança rap em reality Americano


Nesta semana, subiu ao palco do America’s Got Talent – reality show americano exibido no canal NBC – uma participante bem peculiar: Granny G, uma velhinha de vestido rosa de 80 anos de idade. A mulher se apoiava em uma espécie de andador geriátrico e, antes de começar a cantar, disse que ia compartilhar algumas informações sobre valores familiares. O que não se esperava era que Granny G cantaria um rap e dançaria até com a mão no bumbum, levando a plateia e os jurados ao delírio.



Fonte: Época

Este homem sobreviveu a duas bombas atômicas na Segunda Guerra Mundial


imagem-guerra-bomba-atomica-yamaguchi-vida-historia

Tsutomu Yamaguchi (16 de março de 1916 — Nagasaki, 4 de janeiro de 2010) é um japonês que sobreviveu aos dois bombardeios atômicos sofridos pelo Japão ao fim da Guerra , em Hiroshima e Nagasaki. Apesar de se saber que em torno de 160 pessoas atingidas pelos dois bombardeios sobreviveram, Yamaguchi é o japonês reconhecido oficialmente pelo governo japonês como sobrevivente dos dois bombardeios atômicos.

Yamaguchi se encontrava em viagem de negócios em Hiroshima na manhã de 6 de agosto de 1945, quando a cidade sofreu o primeiro bombardeio atômico da história. Ferido e com queimaduras na parte superior do corpo, ele passou a noite num abrigo antiaéreo da cidade e, no dia seguinte, voltou para procurar um melhor tratamento na cidade onde morava, Nagasaki. Três dias depois, em 9 de agosto, ele sofreu novamente as consequências de um segundo bombardeio atômico, sobrevivendo mais uma vez.
Yamaguchi foi reconhecido pelo governo japonês como um "hibakusha" - um sobrevivente da radiação, e, por isso, recebeu compensações financeiras e cuidados médicos durante a sua vida. Apesar das sequelas causadas pelos dois bombardeios, Yamaguchi chegou aos 93 anos de idade em boas condições de saúde, a par de certa surdez e fraqueza nas pernas. Dezenas de milhares de sobreviventes dos bombardeios de Hiroshima e Nagasaki morreram nas décadas seguintes, após adoecer de câncer, uma das consequências da contaminação crescente do organismo pela radiação.
Yamaguchi morreu aos 93 anos de idade, também vítima de um câncer de estômago.
Yamaguchi, nascido em 16 de março de 1916, juntou-se à em 1930, onde trabalhou como desenhista no projeto de navios petroleiros.
Yamaguchi "nunca imaginou que o Japão iria entrar em guerra". Ele continuou seu trabalho na Mitsubishi, mas logo a indústria japonesa começou a sofrer pesadamente com a escassez de recursos e navios afundados. Com o decorrer da guerra, de tão abatido que ficou com o estado do país, Yamaguchi considerou matar sua própria família, com uma overdose de pílulas para dormir, face à derrota do Japão.
Yamaguchi tinha como domicílio a cidade de Nagasaki, onde vivia e trabalhava, mas, por motivos profissionais, ele foi para Hiroshima no verão de 1945. Depois de uma estadia de três meses, Yamaguchi estava se preparando para deixar Hiroshima no dia 6 de agosto. Às 8:15, enquanto fazia o caminho em direção ao cais, o bombardeiro americano Enola Gay lançou a primeira bomba atômica sobre o Japão, a Little Boy, atingindo o centro da cidade, a apenas 3 de distância de onde Yamaguchi se encontrava. Diferente de outras 140 000 pessoas que também estavam em Hiroshima naquele momento, Yamaguchi sobreviveu ao bombardeio.
A explosão rompeu os tímpanos de Yamaguchi e cegou-o temporariamente. O calor da mesma deixou-o com queimaduras graves sobre o lado esquerdo, na parte superior de seu corpo. Junto com alguns colegas, ele pernoitou em um abrigo antiaéreo. No dia seguinte ele voltou a Nagasaki.Chegando em Nagasaki, Yamaguchi recebeu tratamento para as seus ferimentos e, apesar de não estar bem fisicamente, foi ao trabalho em 9 de Agosto.
Às 11 horas do dia 9 de Agosto, enquanto Yamaguchi descrevia suas experiências com a explosão nuclear de Hiroshima para seu supervisor no trabalho, em Nagasaki, o bombardeiro americano Bockscar lançou a segunda bomba atômica sobre o Japão, a Fat Man. Mais uma vez, Yamaguchi estava a apenas 3 km do ground zero. Contudo, desta vez ele não sofreu ferimentos devido à explosão e sobreviveu mais uma vez, ao contrário de outras 90 000 pessoas. Com a destruição de Nagasaki, reduzida a ruínas após o bombardeio atômico, Yamaguchi não pode tratar de seus ferimentos - sofreu de uma febre alta por mais de uma semana.
Após o término da guerra, Yamaguchi trabalhou como tradutor para as forças de ocupação americanas e, em seguida, tornou-se um professor. Anos mais tarde, ele voltou ao trabalho na Mitsubishi. Quando o governo japonês reconheceu oficialmente os sobreviventes do bombardeio atômico como Hibakusha, em 1957, Yamaguchi afirmou durante a identificação que ele tinha estado presente apenas em Nagasaki. Ele estava contente com isso, convencido de que era relativamente saudável, deixando suas experiências para trás.
Ao envelhecer, suas opiniões sobre o uso de armas atômicas começaram a mudar. Com os seus oitenta anos, ele escreveu um livro sobre suas experiências e foi convidado para participar de um documentário realizado em 2006 sobre os 160 sobreviventes de ambos os bombardeios atômicos (também conhecidos como nijū hibakusha no Japão). O documentário Twice Survived: The Doubly Atomic Bombed of Hiroshima and Nagasaki (As duplas sobrevivencias: As duas bombas de Hiroshima e Nagasaki) foi exibido na Organização das Nações Unidas. No documentário, Yamaguchi defendeu a abolição das armas atômicas.
Yamaguchi tornou-se num defensor ativo do desarmamento nuclear. Em uma entrevista ele disse: "A razão que eu odeio a bomba atômica, é por causa do que ela faz para a dignidade dos seres humanos." Falando por meio de sua filha, durante uma entrevista realizada por telefone, ele disse: "Eu não consigo entender porque é que o mundo não pode entender a agonia das bombas nucleares. Como eles podem continuar a desenvolver estas armas?"
Em 22 de dezembro de 2009, o diretor de cinema canadense James Cameron, conheceu Yamaguchi pessoalmente em Nagasaki, Japão, e teve como tema, a realização de um filme sobre armas nucleares. Yamaguchi disse: "Eu acho que é destino, de Cameron e de Pellegrino, para fazerem um filme sobre armas nucleares.
Num primeiro momento, Yamaguchi não sentiu necessidade de chamar a atenção pela sua dupla sobrevivência às bombas. No entanto, quando envelheceu, ele sentiu que a sua sobrevivência era obra do destino. Em janeiro de 2009, Yamaguchi requereu ao governo japonês o reconhecimento do acontecimento, o qual foi aceito em março de 2009. Isso tornou Yamaguchi na única pessoa oficialmente reconhecida como sobrevivente de ambos os ataques nucleares ao Japão.Falando sobre o reconhecimento, Yamaguchi disse: "Minha exposição à radiação dupla é agora um registro oficial do governo. Podem dizer a gerações mais jovens da história de horror dos bombardeios atômicos, mesmo depois de eu morrer."
Yamaguchi perdeu a audição no ouvido esquerdo, como resultado da explosão de Hiroshima. Ele também ficou temporariamente careca e sua filha lembra que aos doze anos via o pai constantemente envolvido em ataduras. Apesar disso, Yamaguchi passou a levar uma vida saudável. No entanto, no final de sua vida, ele começou a sofrer de doenças relacionadas com a radiação, incluindo cataratas e leucemia aguda.
Sua esposa também sofreu de envenenamento por radiação de chuva negra após a explosão de Nagasaki e morreu em 2008, aos 88 anos de idade, de câncer de rim e de fígado, depois de uma vida de doenças. Todos os três de seus filhos relataram que sofriam de problemas de saúde, cuja causa pensavam ser a exposição de seus pais à radiação.
No ano de 2009, Yamaguchi soube que tinha um câncer de estômago. Ele faleceu em 4 de janeiro de 2010, em Nagasaki, com 93 anos de idade.
fonte ; Wikipédia


O livro “A Menina do Vale” traz dicas de uma brasileira de destaque no Vale do Silício e está disponível para download gratuitamente .

Iniciativa? Trabalho em equipe? Networking? Determinação? Quais são as coisas que podem fazer toda a diferença para quem sonha em empreender?

Em A Menina do Vale, Bel Pesce conta o que tem aprendido em sua jornada empreendedora e cita diversos cases de sucesso que mostram como o perfil empreendedor pode mudar uma vida.

Aos 84 anos morre Vidal Sassoon


Vidal Sassoon morre aos 84 anos
Vidal Sassoon foi encontrado morto em seu apartamento, em Los Angeles, neste 9/05, aos 84 anos. O cabeleireiro mais famoso do mundo sofria de leucemia, e complicações naturais são apontadas como a causa mortis de acordo com a polícia americana. Dono dos salões que eram febre nos anos 60, ele criou cortes pensando na mulher que “lava o cabelo e sai de casa”, pulando a parte dos penteados que eram comuns até os anos 50.
Vidal Sassoon foi um dos nomes-chave da Swinging London dos anos 60. Aos 24 anos o garoto londrino abriu seu 1º salão na Inglaterra e começou a treinar sua equipe pra criar cortes de cabelo que não dependessem de nenhum tipo de penteado ou produto pós-secagem, dando a largada pra febre dos cabelos bem curtinhos,supergeométricos, que viraram a febre da década.
Seu corte de 5 pontas, com uma franja bem reta, pontas simétricas rodeando as orelhas e uma ponta arrematando a nuca virou clássico e lhe rendeu prêmios que lhe ajudaram a chegar ao topo, considerado o maior cabeleireiro do mundo.
Sassoon era tão pop que, quando convidado pra cortar o cabelo de Mia Farrow pro filme “O Bebê de Rosemary“, causou confusão no set de filmagens, e seguiu cortando os fios da atriz desviando de repórteres e fotógrafos que cobriam toda a cena, interessados tanto nele quanto na protagonista. Seu salão era ponto de encontro de celebridades incluindo os Rolling Stones, e foi lá que Mary Quant fez o corte que iria parar em todas as suas campanhas – de onde você acha que vem o corte da Twiggy? -, com suas icônicas minissaias.

Aos 70 anos, cantora se diz finalmente pronta para perder a virgindade



A cantora de cabaré Pam Shaw quer perder a virgindade aos 70 anos
A cantora de cabaré Pam Shaw quer perder a virgindade aos 70 anos Foto: Reprodução de internet


Uma cantora de cabaré que sempre esteve muito ocupada com a carreira e que não acredita em sexo antes do casamento. Por causa desses motivos, Pam Shaw chegou aos 70 anos e somente agora se diz pronta para perder a virgindade.
- Meus padrões de exigência ainda são altos. Espero encontrar um cara alto, moreno, bonito e milionário. A hora é agora!Estou pronta para mergulhar de cabeça. Você nunca é velho demais para qualquer coisa. Basta olhar para Joan Collins - alfineta a cantora.

Pam, caracterizada de Tina Turner
Pam, caracterizada de Tina Turner Foto: Reprodução de internet

Apesar do nome artístico sugestivo - The Sexational Pam (algo como A Sexacional Pam) - e das roupas de palco ousadas, a cantora garante que nunca permitiu intimidades com os homens.
- No máximo um beijinho. Os homens me viam no palco e achavam que eu seria fácil, mas tudo aquilo era pela minha carreira - explica.

Pam Shaw já foi assim...
Pam Shaw já foi assim... Foto: Reprodução de internet

Pam diz que seus 70 anos não a impedem de mostrar que é jovem de coração. - As pessoas não acreditam quando eu digo minha idade. Acho que sou assim justamente porque nunca fui casada nem tive filhos.

Pela pose, dá para imaginar quantos homens não caíram aos pés da cantora
Pela pose, dá para imaginar quantos homens não caíram aos pés da cantora Foto: Reprodução de internet

Com informações do site The Sun.


Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/bizarro/aos-70-anos-cantora-se-diz-finalmente-pronta-para-perder-virgindade-4858020.html#ixzz1uSzDmIyG

Campanha Marcha das vadias



Marcha das Vadias ou Marcha das Vagabundas (em inglês: slutwalk) iniciou-se em 3 de abril de 2011 em Toronto no Canadá e desde então tornou-se um movimento internacional realizado por diversas pessoas em todo o mundo.[1] A Marcha das Vadias protesta contra a crença de que as mulheres que são vítimas de estupro pediram isso devido as suas vestimentas.[1] As mulheres durante a marcha usam roupas provocantes: como blusinhas transparentes, lingeriesaiassalto alto ou apenas o sutiã 


NO BRASIL:


A primeira Marcha das Vadias no Brasil ocorreu em São Paulo em 4 de junho de 2011, organizada pela publicitária curitibana Madô Lopez. Após o anúncio do evento com a criação de uma página no Facebook, mais de 6000 pessoas confirmaram presença no evento. No entanto, diferentemente das versões em outros países, somente cerca de 300 pessoas compareceram, de acordo com a contagem da Polícia Militar.[5] Neste mesmo ano iniciou-se a manifestação no Recife e Brasília. De acordo com a antropóloga Julia Zamboni, o movimento é feito por feministas que buscam a igualdade de gênero. “Ser chamada de vadia é uma condição machista.[6] Os homens dizem que a gente é vadia quando dizemos 'sim' para eles e também quando dizemos 'não'”, afirmou.[6] “A gente é vadia porque a gente é livre”, destacou.[6] No Brasil, a marcha também chama atenção para o número de estupros ocorridos no país. Por ano, cerca de 15 mil mulheres são estupradas 

Australiano de 97 anos conclui mestrado





Um australiano de 97 anos de idade obterá nesta sexta-feira (4) seu quarto diploma universitário. Allan Stewart será mestre em ciências clínicas e medicina complementar pela Southern Cross University. Há seis anos, então com 91, Stewart se formara em direito. Esse australiano, nascido em 1915, dedicou quase toda sua vida à vida acadêmica, e seu primeiro diploma foi obtido no final da década de 1930. Na época, os estudantes 'se vestiam de forma mais conservadora; agora, a maioria dos estudantes parece que está com roupa de férias', disse Stewart à emissora local 'ABC'. Stewart trabalhou durante muitos anos como dentista, mas depois decidiu retornar às salas de aula para estudar direito. (G1)

LAVAR A LOUÇA, COZINHAR E LIMPAR A CASA REDUZEM RISCO DE ALZHEIMER


Se você mulher, foge dos serviços domésticos, está na hora de mudar de ideia. De acordo com uma pesquisa do Centro Médico da Universidade Rush, nos Estados Unidos, lavar a louça, cozinhar e limpar a casa podem ajudar a reduzir o risco de desenvolver Alzheimer, mesmo em pessoas com mais de 80 anos. Os dados são do jornal Daily Mail.
Os cientistas pediram a 716 voluntários, com idade média de 82 anos, que usassem um dispositivo que monitora atividades do dia a dia. Os participantes também foram submetidos a testes cognitivos para avaliar a memória e a capacidade de pensar.
Após cerca de três anos, 71 pessoas foram diagnosticadas com a doença. O levantamento constatou que os menos ativos eram duas vezes mais propensos à demência em comparação com os mais ativos.
“Esses dados fornecem apoio aos esforços para incentivar todos os tipos de atividade física, mesmo em adultos muito velhos, que não são capazes de participar de um exercício formal, mas podem ainda se beneficiar de um estilo de vida mais ativo”, disse o pesquisador Aron Buchman.
Fonte: Terra